11:35Líder de Greca anuncia retirada de projetos que aumentavam impostos

Da Gazeta do Povo

O pedido de retirada dos projetos que majoravam o ISS e o ITBI foi feito por vereadores da base do prefeito no Legislativo municipal

O prefeito Rafael Greca (PMN) pediu a retirada de dois projetos que integram o pacote de ajuste fiscal do Executivo que foi enviado à Câmara Municipal este ano. Na manhã desta terça-feira (1º) a retirada dos projetos que aumentavam a alíquota do ITBI e que alteravam as formas de cobrança do ISS foi anunciada pelo líder do prefeito na Câmara, Pier Petruzziello (PTB).

O pedido de retirada dos projetos foi feito pela base de Greca no Legislativo. Segundo Petruzziello, o aumento do ITBI, cobrado principalmente na venda de imóveis, pesaria sobre as pessoas de baixa renda e as alterações no Imposto sobre Serviços, o ISS, poderiam fazer com que profissionais liberais migrassem para a Região Metropolitana de Curitiba, onde teriam condições tributárias mais favoráveis.

Durante o recesso parlamentar, os vereadores ser reuniram com diversas instituições que pressionavam a Câmara e a Prefeitura pela retirada dos projetos. Na segunda-feira (31), o líder do governo reuniu cerca de 20 entidades de classe na sala de reuniões da presidência da Câmara para debater a retirada dos projetos.

Uma das entidades que pedia retirada da proposta que altera o ISS era a OAB-PR. O presidente da instituição afirmou, na reunião, que a aprovação do projeto poderia aumentar a informalidade em diversos setores da economia onde atuam profissionais liberais.

“Hoje há uma diminuição da demanda de serviços, seja de atendimentos a pacientes na saúde ou a clientes, como no nosso caso. Isso [o projeto] aumenta o custo, o que acaba afastando os profissionais de suas atividades ou contribuindo com a informalidade”, disse. “Há outras formas de aumentar a arrecadação como por exemplo o estímulo à formalidade e o aumento da fiscalização, que fará com que profissionais estejam em dia com suas obrigações”, sugeriu.

Com a retirada das duas proposições restam ainda cinco projetos do ajuste fiscal para serem votados. Entre eles estão a criação de um plano de previdência complementar para os servidores municipais e a desvinculação do pagamento da taxa de lixo do IPTU, que devem ser votados já nas primeiras semanas do segundo semestre.

Ainda na sessão desta terça-feira os vereadores vão votar o projeto de criação do programa Nota Fiscal Curitibana, que, se aprovado, funcionará de forma semelhante ao Nota Paraná, do governo do estado.

Uma ideia sobre “Líder de Greca anuncia retirada de projetos que aumentavam impostos

  1. juca

    Pois isso prova algumas opiniões do passado recente:
    O tal pacote era mesmo para meter a
    mão no recurso do fundo de previdência do IPMC.
    Também não conceder o reajuste e dilatar a data base.
    Jogar a opinião pública contra o funcionalismo, como sendo culpados da situação financeira do Município.
    Por fim aplica-se aquele ditado antigo. ” Quem tem…. tem medo”, da OAB e de outras classes que a administração não pode comandar nem influenciar com oferta de cargos a vários vereadores.
    Também a balela dita hoje que a questão do fundo de reserva lançado mão a lá Beto Richa foi feita para garantir o pagamento dos servidores. Estranho, poi no inicio das discussões , todo o tal ajuste, era para sanear as finaças combalidas da prefeitura, disso tudo pode-se concluir que não vale o que foi dito em “…. se não sabe fazer deixa que eu faço…..” Lembram ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>