22:52Leilão sim, mas não do estádio

A notícia de que o estádio Joaquim Américo pode ir à leilão, saída da boca do advogado do Atlético Paranaense e pinçada e explorada em manchete pelo site da Gazetona (é isso ou a Fomento Paraná acaba é o complemento), faz parte do jogo da queda de braço que se arrasta desde que a Copa do Mundo terminou. Ela veio logo depois da sapecada levada ontem no jogo contra o San Lorenzo pela Copa Libertadores – e depois da traulitada no Atletiba que tem tudo para se repetir no domingo, na partida final do campeonato paranaense. Ou seja, para o torcedor, leilão mesmo deveria ser feito com o time que entra em campo para perder feio, sem jogar nem pedra.

Uma ideia sobre “Leilão sim, mas não do estádio

  1. Jorge Armado

    Os torcedores atleticanos não tem porque se preocupar. É só chamar o Mário Celso Cunha que ele resolve as pendengas. Ou, na pior das hipóteses, lotar a Arena por 142 partidas consecutivas, realizar 56 lutas MMA, 18 jogos de vôlei da seleção brasileira, e mais 92 shows e a fatura está paga. Certamente a torcida não vai deixar o clube na mão. Nem o Mário Celso Cunha. Ou os bravos políticos identificados com a causa rubo-negra ( ou seja, todos atleticanos de 4 costados, muitos membros do conselho do clube): Nelson Justus, Roberto Requião, Alexandre Cury, L.C. Romanelli, Onaireves Moura, Doático Santos,Ademir Bier, Orlando Pessutti, Francischini Jr, Ney Leprevost. Com esse time não há o que temer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>