19:14JORGE LUIS BORGES

- Somos nossa memória, somos esse quimérico museu de formas inconstantes, esse montão de espelhos rompidos.

- A memória é o essencial, visto que a literatura está feita de sonhos e os sonhos fazem-se combinando recordações.

- No passado cometi o maior pecado que um homem pode cometer: não fui feliz.

Uma ideia sobre “JORGE LUIS BORGES

  1. Sergio Silvestre

    Pois é,a felicidade as vezes é uma coisinha tão simples,como dar um abraço na mãe,levar os filhos na escola,até beber o resto que ficou no caco da garrafa de tubaína quebrada.
    A maior felicidade tá na casa do pobre e do trabalhador,e também está num rebanho quando acha uma nascente límpida para beber água depois de ter lambido muito sal.
    Tudo que passamos é compensado nesses raros momento de felicidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>