16:47Paraná com gás boliviano

A BBC informa:

A Bolívia negocia, sem a participação da Petrobras, a venda de gás natural diretamente para cinco Estados brasileiros – Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

As negociações têm como objetivo a assinatura de um contrato de fornecimento com a estatal boliviana de Petroleo, a YPFB (Yacimientos Petrolíferos Fiscales Boliviano), excluindo a estatal brasileira do fornecimento.

De acordo com informações divulgadas publicamente pelo governo do Mato Grosso do Sul, participam das negociações os governadores Reinaldo Azambuja (PSDB/MS), e Pedro Taques (PSDB/MT), além de dirigentes de estatais de gás e energia do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.

O presidente boliviano, Evo Morales, o ministro de Hidrocarbonetos e Energia da Bolívia, Luis Alberto Sanchez Fernández, e o presidente da YPFB, Guilhermo Acha Morales, também estão com a presença confirmada nos encontros, realizados na Bolívia.

 

Segundo informações divulgadas pelo governo do Mato Grosso, a reunião foi sugerida por Sánchez Fernández.

De acordo com o governo do Mato Grosso do Sul, Azambuja recebeu em fevereiro autorização do presidente Michel Temer e do Itamaraty para liderar as negociações bilaterais.

Impostos

O gás natural é o principal produto de exportação da Bolívia.

Atualmente, as importações brasileiras de gás natural são feitas por intermédio da Petrobras através do Gasoduto Bolívia-Brasil, chamado de Gasbol – a estatal define o volume de gás a ser importado. O atual contrato vence em 2019.

O governo do Mato Grosso do Sul se queixa abertamente de uma diminuição do bombeamento de gás natural pelo Gasbol desde meados de 2016 – quando a Petrobras no Brasil iniciou a expansão da produção nacional de gás natural, com início das operações de produção de óleo do pré-sal -, o que leva à queda na arrecadação de ICMS pelo governo sul-matogrossense em estimados R$ 939 milhões.

O acordo direto entre a Bolívia e os Estados brasileiros permitirá, segundo a gestão de Azambuja, que a Termelétrica de Ladário (no MS) entre em funcionamento e passe a produzir energia e a participar dos leilões da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).

http://www.bbc.com/portuguese/brasil-39823605

 

3 ideias sobre “Paraná com gás boliviano

  1. Jorge Armado

    O governador Beto Richa, o melhor da história, não permitirá que o gás comunista da Bolívia venha contaminar ideologicamente nossas indústrias e lares! Abaixo o gás bolivariano boliviano!

  2. Sergio Silvestre

    Eles não engolem o Índio Evo Morales que acertou a vida dos Bolivianos,EVO O GRANDE TUPAC MARU

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>