12:10Estudo mostra que geração de empregos beneficiou miseráveis, mas foi ruim para a classe média

Enviado por Gerldo Serathiuk:

A recessão vivida pelo Brasil entre 1975 e 2003 trouxe a desestruturação do mercado de trabalho. Em razão disso, com a retomada do crescimento, 80% dos empregos gerados paga no máximo 2 salários mínimos. O uso da rotatividade (demissão imotivada) da mão de obra trouxe também a mobilidade social do exército de reserva dos miseráveis para o mercado de trabalho para receber menores salários e também o  baixo dinamismo do mercado de trabalho para a classe média baixa e alta. Somente com a continuidade do crescimento econômico poderemos construir um mercado de trabalho mais justo, com a geração de empregos decentes e com melhores salários, desobstruindo assim os caminhos para uma maior ascensão e mobilidade social para uma vida mais digna para todos. A leitura do texto abaixo nos ajuda a ver o mundo real – e não virtual, e o tamanho da tarefa que todos que querem um Brasil melhor têm pela frente. Também esclarece por que temos índices elevados de criminalidade e por que as drogas passaram a ser uma opção de sobrevivência ou um alívio para o mal-estar dos salários baixos, empregos precários e do desemprego. Confiram:

 http://www.eco.unicamp.br/docdownload/publicacoes/textosdiscussao/texto176.pdf

2 ideias sobre “Estudo mostra que geração de empregos beneficiou miseráveis, mas foi ruim para a classe média

  1. TURISTA

    O GERALDO S. PELO SEU CONHECIMENTO E COMPETENCIA PODERIA FAZER UM ARTIGO SOBRE A PREVIDENCIA NO PARANÁ.ABRAÇOS AO GERALDO

  2. sapo barbudo

    Olha é uma surpresa o Serathiuk postar este comentário, nunca imaginei que pudesse vir dele uma afirmativa desta. Vai levar um puxão de orelha do pessoal do PT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>