11:00Estamos fundidos

por Renato Terra

Exultante com a fusão de pastas para a criação dos superministérios da Economia e da Justiça, o presidente eleito Jair Bolsonaro resolveu aplicar a mesma lógica em diversos setores da sociedade.

“Eu dei o primeiro tiro de alerta contra a Folha quando ameacei cortar a propaganda governamental de quem insistir em fazer jornalismo. Ficou o recado para os demais veículos, tá OK? Mas sou um humilde cordeiro de Deus e achei que a ideia poderia ser aperfeiçoada”, ponderou.

“Consultei Alexandre Frota, que sabe fundir como ninguém, e decidi pela fusão do jornalismo com assessoria de imprensa”, concluiu.

Sem camisa, Frota completou: “É isso aí: menos Brasília, mais Brasileirinhas”.

Em seguida, o capitão reformado pendurou na parede um quadro de Romero Britto em que se via o desenho estilizado de uma capa da Folha.

Assim que terminou de anunciar a fusão do jornalismo com assessoria de imprensa, o exemplar desceu pela moldura e foi triturado.

Com a fusão, Bolsonaro acredita na alternância democrática de notícias e releases.

“Depois do advento do WhatsApp, não precisamos mais da imprensa para ler fake news”, justificou, enquanto posava com crianças carentes para um ensaio fotográfico a ser publicado no portal R7.

Confrontado com suas críticas ao projeto de Controle Social da Mídia proposto pelo PT, ele foi enfático: “O grande problema ali era o uso da palavra ‘social’. Isso é atitude de bolivariano e a gente não vai tolerar. Controle da mídia tem que ser autocrático, moderno”.

Ao comentar a união dos ministérios da Agricultura com Meio Ambiente, o presidente eleito também anunciou a fusão de índio com quilombola e de sapo com jacaré.

“Assim a gente ganha espaço para liberar as terras para que a privatização da Amazônia aconteça dentro da lei”, explicou.

Paulo Guedes confirmou que Bolsonaro ainda estuda a fusão da Ponte Preta com o Guarani, de Moraes Moreira com Alceu Valença e do biscoito Globo com o jornal O Globo.

CONTADOR

Estamos trabalhando há 233 dias sem saber quem matou —e quem mandou matar— Marielle Franco.

*Publicado na Folha de S.Paulo

3 ideias sobre “Estamos fundidos

  1. Frik

    Este humor da Folha continua me deixando com a mesma cara de Buster Keaton. Não arranca nem meio sorriso.
    Já o WhatsApp da Dilma na campanha malograda para o Senado de Minas… Hilariante. Acordar com o “bom dia” financiado pelo fundo partidário – legal, mas abusivo – quanto dinheiro do pagador de impostos desperdiçado

    https://youtu.be/ZtYIcG-n7CU

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>