10:46Dor escondida

por Ticiana Vasconcelos Silva

Escrever é um ato de ousadia

No espaço que se defronta à minha frente

Vejo linhas conjugadas ao que ainda não foi dito

Por isso, um perigo na iminência do fazer escondido

 

Meu tato se desprende no vazio de linhas brancas

Não meço o que não se pode contornar

Apenas me lanço como um jato que não é visto

Apenas me esforço em um ato comedido

 

Ganho pela grandeza de ver o sol como um astro que está morrendo

E me arrisco a ser só para não ultrapassar viscerais linhas invisíveis

Faço dessa conjectura um desenho de razoável colorido

E isso me faz adentrar ao que ainda está dolorido

 

Dor de mãe de anciã de irmã e de filha

Em que se aterra e se encontra as mais duras partidas

Dor de saber que tudo é e está perdido

 

E que apenas a ignorância é aquilo que nunca será corrompido

Uma ideia sobre “Dor escondida

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>