6:57Claro?

Do enviado especial

Perguntar é sempre bom. Por exemplo: por que os deputados do Paraná não compram material de seu próprio Estado, já que dispensaram a licitação e contrataram TV por assinatura da filial da Claro – e não da hoje Vivo (ex-GVT) cuja sede do satélite é em Pinhais, onde gera ICMS para a cruzada do secretário da Fazenda Mauro Ricardo. Para os interessados, é só verificar o processo “Inexigibilidade de Licitação n° 05/2017 – Contrato de prestação de Serviço de TV por assinatura, celebrado entre a ALEP e a empresa Claro S/A, CNPJ: 40.432.544/0224-69, filial que atua do estado do Paraná, Sinal de TV a cabo Programação Canal Legislativo para esta Casa de Leis Atualizado em 13 de junho de 2017″

3 ideias sobre “Claro?

  1. Marco

    Simples assim: porque a Claro/Net é a única operadora que transmite a programação da TV Assembleia. Se a contratação está vinculada a ter a transmissão do canal nos gabinetes, só poderia ser a Claro/Net.

  2. Geral

    Por que é chique, claro!

    Calcule a quantidade de diárias gastas do pessoal da alta direção traiana para ir a Foz no início de junho no congresso dos estaduais.
    Mais de 150 diárias.
    Fora passagens aéreas e deslocamento de frota e aluguel de carros e táxis e uber (?) e ainda 400 mil reais de patrocínio da Alep, a casa do povo.

  3. Bacana

    “Se a contratação está vinculada a ter a transmissão do canal nos gabinetes, só poderia ser a Claro/Net.” – linda análise.

    E porque a douta Assembleia Legislativa do Paraná não pede para a VivoTV – GVT TV transmitir a beleza do canal da ALEP, o segundo mais visto do mundo após o da Assembleia Departamental de Alto Paraná, no Paraguai?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>