14:57À senhora prefeita, com respeito

por Célio Heitor Guimarães

 

Dona Leila Klenk, prefeita municipal da Lapa (PR), sentiu-se ofendida com o que eu escrevi na terça-feira sobre a conquista de um notável doutor cubano pela legendária cidade, e usou este espaço democrático do nosso Zé Beto para pichar-me de preconceituoso e até de racista, vejam só!, ainda que, no entender dela, ao responder-me, estaria dando ao meu modesto artigo mais visibilidade e importância do que ele teve.

 

Pois é, dona Leila. Mas foi a senhora que assim o quis. Graças à senhora, eu, que mal era lido em Curitiba, acabei avançando, atravessando o rio Barigui, passando ao largo de Araucária e Contenda, e chegando à Lapa, que amo não apenas por haver deixado lá o meu umbigo e ter lá enterrados os meus antepassados (um deles ali defronte a Casa Lacerda), mas por desejar ardentemente que a velha cidade, de tanta glória e tantas tradições – um dos berços da civilização paranaense, modéstia à parte – progrida, mas nem por isso se desvie do seu sagrado destino histórico e se transforme em uma cidadezinha comum, igual a tantas outras perdidas e sem nenhuma importância no interior deste Brasil.

 

Mas, sejamos justos: a minha crítica teve um lado vantajoso para a senhora: fê-la surgir em cena, aparecer publicamente, dizer alguma coisa. Eu, por exemplo, que nem sabia direito o seu nome, fiquei conhecendo-a. Fiquei sabendo, também, por seu intermédio, que se hoje temos prefeitas e presidentas e até pessoas com deficiência ativas no mercado de trabalho, é graças ao PT. Ou isso teria sido suposição minha? Porque para o vosso PT o Brasil não existia antes de Lula. O Lula que, em duas ocasiões, recebeu o meu voto, a segunda das quais o ajudou a chegar ao Palácio do Planalto.

 

É certo que também eu tirei algum proveito da vossa intervenção: soube que a senhora tem duas irmãs honestas e trabalhadoras e conquistei a leitura do Roseval Jorge, que não costumava ler os meus escritos aqui nem quando eu “escrevia para um jornal local” (O Estado do Paraná, Roseval). Quanto à frase do interventor Manoel Ribas, que suponho seja “Lapa, terra de heróis e berço de vagabundos”, sugiro que o Malquíades Silva faça a indagação à senhora prefeita, mais indicada para respondê-la.

 

Não houve preconceito no meu escrito, dona Leila. E muito menos racismo. Apenas provocação. Por isso, não aceito e devolvo-lhe a pretensa lição de moral. Preconceito haveria, talvez, se, em vez de dizer que a Lapa abriga na prefeitura uma mulher e, ainda por cima petista, eu tivesse dito que abriga uma petista e, ainda por cima, mulher.

 

Sabe, dona Leila, não tenho nada contra as mulheres. Ao contrário, gosto muito delas, tanto que guardo uma lá em casa há 50 anos, com imenso carinho e muito amor. Mais: sempre achei a mulher superior ao homem, prova é que a ela foi conferida a graça de parir, de dar vida. Acho, inclusive, que, se um dia encontrarmos Deus, face a face, descobriremos que Ele é Ela, uma mulher. E negra. E não há aí nenhum chiste de minha parte.

 

De igual modo, não é verdade que eu desconheça a realidade política e social da Lapa. Conheço-a – tenho parentes e amigos que vivem o dia-a-dia da cidade – e o que sei, lamento, não é favorável à vossa administração. Eisso não se deve ao fato de ser mulher. De ser petista, talvez. O PT não temmostrado capacidade para governar, nunca foi capaz de comprovar na práticaaquilo que apregoava na teoria. Pior: no poder perdeu as suas características originais, sufocou a ética, passou a participar de tramoias, quando não as promoveu; tornou-se pretensioso, arrogante, assistencialista e falso. Vive da ignorância do povo, especialmente do mais carente, a quem finge privilegiar e proteger.

 

A importação dos médicos cubanos, sem critério, sem avaliação e sem pejo quanto à forma é a maior prova disso. Sejamos honestos.

 

É possível que a Lapa, como a grande maioria das cidades brasileiras – grotões ou não – sofra com a falta de médicos e com o mau atendimento à saúde pública. É um mal endêmico nacional. Exatamente por uma política administrativa equivocada e até criminosa de nossas autoridades, ora capitaneadas pela vossa “presidenta”. E não será, certamente, com a chegada de um doutor cubano, alugado dos irmãos Castro para prestar trabalho semiescravo, que o problema será resolvido. A senhora, dona Leila, sabe disso e terá dificuldade de mostrar o contrário aos eleitores lapeanos. Ou será que só a presença do moço do Caribe, com sua sapiência caribenha, será capaz de dar fim às carências das ditas “comunidades rurais muito distantes da área urbana, que precisam de atendimento sem que haja médicos dispostos a assumir esses postos”? Se for, serei o primeiro a pedir a entronização dele como novo padroeiro da cidade. Com o perdão de Santo Antônio e de São Benedito, claro.

 

Não me queira mal, dona Leila. Meu propósito, ainda que às vezes eu use de alguma galhofa, é elevado e visa apenas o bem da Lapa. Apesar do PT.

 

PS – Se eu só estivesse de brincadeira, diria que escrevi o texto que incomodou dona Leila para indispor o Élio Narlok Wesolowski, que é vereador na Lapa e usa o meu nome como pseudônimo, com a prefeita e com o eleitorado petista lapeano. Podia ser que, depois disso, ele tivesse um ataque de bom senso e passasse a usar o seu verdadeiro nome e fazer a sua própria história, sem vergonha de ser quem é.

10 ideias sobre “À senhora prefeita, com respeito

  1. GUMERCINDO SARAIVA

    Dona LEILA :

    Interessante como a nobre alcaide sofisma ou mente . É bom a senhora prefeita explicar as coisas como elas são. Nos diga quantos médicos tinha a Legendária quando a senhora assumiu. A senhora demitiu muito deles, porque custavam ” caro “. A cidade ficou sem médicos e agora vem um hermeno cubano para salvar as aparências. POBRE PREFIETA E COITADO DO POVO LAPEANO.

  2. Angela

    “Preconceito haveria, talvez, se, em vez de dizer que a Lapa abriga na prefeitura uma mulher e, ainda por cima petista, eu tivesse dito que abriga uma petista e, ainda por cima, mulher.”
    Há preconceito contra a mulher em ambas as formas. Melhor assumir do que tentar remediar.

  3. AMARAHAL

    SALVE E …………VIVA A LAPA !
    Célio Heitor Guimarães tuas palavras aqueceu meu sangue de filho de LAPEANO, parabéns.

  4. José Costa

    O tal Célio Guimarães chamou a claque para tentar ficar menos feio na fita. Lamentável. Ignorante, preconceituoso e servil à corja que nunca se cansou de fazer desmandos na Lapa. Lamento o senhor estar desempregado, mas por suas ideias e conceitos, entendo o motivo. Ataca para defender ideias torpes, ultrapassadas. Lamento um blog de um jornalista sério como Zé Beto dar abrigo para esse tipo de manifestação.

  5. Emerson Paranhos

    Muito bom o texto do Célio. Parabesn. Disse tudo e como sempre a reação dos Petistas, essa sim, foi preconceituosa, racista e principalmente metirosa. Muito bom o texto, mais uma vez parabens ao Célio e ao Zé Beto, o qual pratica em sua coluna a verdadeira liberdade de opinião. Liberdade odiada pelos petistas et cubanos.

  6. Emerson Paranhos

    Ao José Costa:
    . Quanto ao Célio, ele tem muito mais serviço prestado ao Paraná e ao Brasil do que a vil ignorância de vocês Petistas imaginam. Não é por estar desempregado (se estiver) atualmente, que não pode exprimir sua opinião. Esta afirmação dos petistas sobre o desemprego sim, é o máximo da ignorancia e do preconceito a serviço de um partido que serve a ideologia falida e mofa, e mostra ainda quem realmente é racista.
    Cordialmente Emerson

  7. Giovani

    Já pensou senão gostasse.

    “Sabe, dona Leila, não tenho nada contra as mulheres. Ao contrário, gosto muito delas, tanto que guardo uma lá em casa há 50 anos, com imenso carinho e muito amor”

  8. José Costa

    O Paranhos, nem petista eu sou. Criticar quem escreve asneira é ser petista? Pare de falar besteira. Você só tá lambendo as botas do tal Guimarães porque ele atacou a prefeita que derrotou teu grupelho político na Lapa. E ele é ignorante e preconceituoso ao falar da situação de uma mulher comandando uma cidade e da vinda de médicos para ajudar a minimizar os problemas de saúde no Brasil. Outra coisa, você também é ignorante ao confundir liberdade de expressão com abertura de espaço para preconceitos, xenofobia, racismo, etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>