17:46A guerra da vacina

Do enviado especial

A Folha de S. Paulo deu e a Gazeta do Povo replicou entrevista do ex-diretor do Instituto Butantã, Isaías Raw, em que ele opina sobre a compra de vacinas contra a dengue pelo Governo do Paraná. Em resumo, o viés da notícia é que o governo estadual jogou R$ 90 milhões no lixo. Questionada, a Secretaria da Saúde emitiu nota sobre a necessidade da compra e aplicação do medicamento em 30 cidades onde a dengue era endêmica e epidêmica.

O texto diz que Raw não é uma fonte isenta para falar sobre o assunto, uma vez que ele tem interesse na venda de vacina similar, de sua propriedade, ainda não homologada, e informa que o laboratório Sanofi, de onde vieram as vacinas usadas, detém o único medicamento reconhecido no mercado.

A secretaria pondera que: “No período epidemiológico anterior à vacinação, entre agosto de 2015 e julho de 2016, o Paraná enfrentou a pior epidemia de sua história, com a confirmação de 56.351 casos e 63 óbitos por dengue”.

A nota prossegue com outra matemática: “Desde agosto de 2016, quando foi definida a campanha de vacinação contra a dengue, foram confirmados 1.241 casos de dengue no Paraná e nenhuma morte pela doença, sendo que somente 40 pessoas vacinadas foram notificadas com suspeita clínica de dengue leve, sem confirmação laboratorial. Isso representa 0,01% do total de vacinados”.

Uma ideia sobre “A guerra da vacina

  1. Sergio Silvestre

    Imagino se o laboratório devolver o dinheiro essa tropa do governo também devolve as comissões da vacina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>