7:15Ele precisa de tratamento

por Célio Heitor Guimarães

Confinado compulsoriamente em casa, quedava-me em dúvida. Qual dos vírus é mais maléfico para o Brasil: o corona ou o Jair Messias? Depois da performance de s. exª., o presidente da República, na terça-feira, em cadeia nacional de televisão, não há mais dúvida: o segundo, com certeza.

Que o homem é um destrambelhado, sem a menor condição para exercer o mais alto cargo da República, todo mundo sabia ou logo ficou sabendo. Que não conhece a liturgia do cargo e não tem consciência do que ele representa, também. Na verdade, já deveria ter sido recolhido a um manicômio. Em liberdade e com a língua (semi) solta, é um perigo. E o infeliz supera-se a cada dia, sem que ninguém seja capaz de controla-lo.

Dias atrás, ao valer-se do cargo para instigar a população contra os demais Poderes – o Legislativo e o Judiciário –, ultrapassou todos os limites do bom-senso e sanidade. Nunca se viu na História. Ou, por outra, só se viu nos piores momentos da História.

Jair Messias Bolsonaro é um homem com sérios problemas de saúde. E não é o coronavirus, que ele pode ter adquirido quando esteve nos braços de Donald Trump em recente temporada norte-americana. Para ele, a pandemia seria uma mera constipação. O problema do capitão reformado é muito mais grave.

Ele não sabe governar, ele não quer governar, ele tem raiva de governar. E está fazendo o que pode para dizer que só continua no governo se arredados os empecilhos – quais sejam os deputados, os senadores e os juízes da corte superior de Justiça. E, sobretudo – não nos esqueçamos –, a imprensa.

Jânio quis fazer isso, mas errou na estratégia. Alguns anos depois, a ditadura fardada conseguiu. Como já conseguira Hitler, Mussolini, Stalin, Mao, Idi Amin, Gaddafi, Papa Doc, Saddan, Stroessner, Fidel, Franco, Salazar, Pinochet, Videla, Viola, Galtiri, Bordaberry, Chávez, Maduro e outras figuras medonhas, de tristíssima memória.

Na semana passada, o presidente autorizou a quebra dos contratos de trabalho, com a redução dos salários dos empregados; no início desta, suspendeu o prazo para a prestação de informações de interesse público por parte do governo; e na terça-feira, superou-se ao minimizar, novamente, a crise sanitária, criticar o trabalho dos governadores e desautorizar todo o belo trabalho que vem sendo feito pelo seu próprio Ministério da Saúde.

O mundo todo está fazendo o possível para combater com coragem e eficiência a caminhada no Covid-19. No Brasil, as autoridades, em conjunto com a população, enfrentam o mal com as armas e as deficiências que têm. Médicos, enfermeiros, sanitaristas e demais agentes de saúde desenvolvem, em todo o território nacional, um trabalho incansável e quase desumano, meritório sob todos os aspectos, correndo riscos, para atender as pessoas infectadas pela peste. A população faz a sua parte, seguindo as orientações, permanecendo em casa, evitando aglomerações, intensificando a higiene pessoal e exercitando, como nunca, os sentimentos de união, cordialidade e fraternidade.

De sua parte, o Ministério da Saúde, através do ministro e de seus secretários e supervisores, tem-se feito presente, diariamente, em entrevistas coletivas, esclarecendo e aconselhando o público, como nunca se fizera antes. Cumprem (ou cumpriam) as suas funções, com correção e eficiência.

Aí, não se sabe porque, s. exª., o capitão-presidente resolve entrar em cena: convoca uma cadeia nacional de televisão para deitar falação. E o que fala? Tudo o que não devia: volta a chamar a epidemia de “gripezinha” e “resfriadinho”, critica a “histeria” pública, as medidas preventivas adotadas nos Estados, como a suspensão das aulas e o fechamento do comércio, que considera exageradas. Só faltou incentivar o povo a voltar para as ruas e fazer passeatas em sua homenagem.

Recebeu novo (o 9º) panelaço nacional. Mas não se emenda.

6 ideias sobre “Ele precisa de tratamento

  1. Frik

    Com certeza o fraseado deveria ser bem mais sutil – até o Trump consegue ser mais sutil. As medidas são necessárias, porém não devem se prolongar indefinidamente. Lá estima-se metade de Abril como prazo limite. Depressão econômica também é caso sério. Pode conduzir a um holocausto sócio econômico. De quinze milhões de desempregados para: muito mais. Então, estabelecer prazo. As pessoas já estão bem mais conscientes da necessidade de uma (O termo não é meu) ética respiratória- tossir e espirrar sem espalhar gotículas, e também sem molhar a própria mão. Evitar falar direto no rosto do interlocutor, usar lenços descartáveis, coisas assim.
    Notícia boa do dia: Banho de sol ajuda a prevenir viroses em geral. A Vitamina D3 é um poderoso auxiliar do sistema imunológico. Isto tem um sólido embasamento científico.

  2. Parreiras Rodrigues

    Concordo como sempre, com o Heitor C. Guimarães, com exceção do último parágrafo ao se referir aos panelaços, escancaradamente editados.

  3. Penacova

    Este presidente, puta que pariu!!!!
    Enfim, um demente no poder. Se tivéssemos um sistema de saúde estruturado, que todos pudessem ser assistidos com dignidade, testados.
    O país não tem leitos, hospitais e nem se quer a radiografia de quantos estão portando o vírus.
    Faltou o bigode do Hitler, ou quer renovar o estoque de pessoas, pois, somos mercadorias mãos deste lunático. Nesta aeronave pegando fogo, só existe um paraquedas o dele próprio. Desafio o presidente a mostrar o exame, negativado, pois afetou o cérebro

  4. SERGIO SILVESTRE

    Ele gosta de governar,vê isso quando ele com seus comparsas Moro e cia se deliciavam no avião presidencial,e não precisava nem dizer,se via nos olhos brilhantes dele e o Moro que o Pais agora era deles.
    Pois é,as mentiras caem por terra,meus filhos bolsonaristas fanáticos,arrefeceram,me dão razão agora,até por que carregam ainda uma carga genética com desconfiômetro
    Lá atrás sempre dizia a eles,vai ser um desastre,esse sim pode-se dizer que o pior ainda está por vir. .

  5. Jorge Armado

    É uma monstruosa trama globalista para tentar derrubar o maior líder que o planeta já conheceu. A Europa, a Ásia, A América do Norte, a América do Sul, a Oceania até a Índia estão irmanadas para eclipsar os grandes feitos do nosso timoneiro, o Messias! Criaram esse factóide de coronavírus e isolamento para evitar que o Brasil vire uma mega-potência planetária. Mas não passarão! Eu, mais o Franco, o Zangado, o Frik e o Dirceu Pio estamos inclusive enviando uma correspondência sugerindo que nosso líder mantenha a viagem para a Itália, marcada para abril e incompreensivelmente desmarcada. Nós nos oferecemos voluntariamente para acompanhar o mito à terra de seus ancestrais e conversar com os dirigentes da “Bota” para deixarem de frescura e pegarem na enxada. Trabalhar! Depois iremos à Espanha e aos Estados Unidos combater o vírus do comunismo, esse sim muito mais perigoso!. Os novaiorquinos vão sair da toca para ver e ouvir o Messias! Trump vai ficar nos devendo essa! Brasil acima de Tudo!. Deus, Pátria e Família!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>