5:39Saúde, meu Rei

por Dirceu Pio

        Ao ver aquela foto de Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, deprimido, entrevado numa cadeira de rodas, me bateu um sentimento de tristeza e de profunda nostalgia. Deus – ou a Natureza, não sei – não tinham o direito de fazer isso com ele.

        Desde criança, aprendi a amar o futebol, a magia do drible, do chapéu bem dado, da cabeçada certeira, do passe preciso à mais longa distância, do gingado, da antecipação. Parece haver sempre o dedo de Deus em toda essa magia que reinava soberana na trajetória de Pelé, inigualável.

        Eu o conheci pessoalmente e houve um curto período de tempo (de 1970 a 1973) – algo que sempre me encheu de orgulho – em que ele me chamava pelo sobrenome, Pio.

        Eu chefiava a sucursal do ABC do jornal o Estado de S. Paulo e costumava entrevistar o empresário Mário Cordeiro de Menezes, dono de uma das maiores concessionárias da Chevrolet do país, a Diasa, hoje Vigorito, em Santo André, muito ligado ao Santos. O famoso Gilmar dos Santos Neves, goleraço do Santos, foi gerente de sua loja e, posteriormente, depois de abandonar o futebol, abriu também uma concessionária da GM em SP.

        Era comum o empresário reunir os jogadores do Santos em sua Loja para um churrasco e foi ali que eu me encontrei com Pelé várias vezes. Tive com ele uma conversa do tipo inesquecível: estávamos aos fundos da loja (garçons servindo deliciosos petiscos e bebidas) quando uma menina, filha de um dos amigos do empresário, aproxima-se de Pelé e pergunta:

- Qual foi o gol mais bonito de sua carreira ?

        Pelé respondeu sem hesitar:

- Foi contra o Juventus em que eu dei três chapéus nos zagueiros, um atrás do outro !

        Eu estava por perto e me atrevi a comentar:

- Não vi esse gol, mas até hoje o gol mais bonito que o vi fazer foi em Bauru, Santos contra o Noroeste. O Edu cruzou uma bola a meia altura para a área e você se enfiou no meio de três zagueiros que o marcavam, puxou a bola de calcanhar e bateu de direita sem que ela pingasse no chão!

        Pelé ouviu e comentou:

- É, eu me lembro desse gol, de fato foi muito bonito, mas não adianta citar…não havia televisão e vão pensar que eu inventei !

FOI O MAIOR DIPLOMATA DA HISTÓRIA DO BRASIL

        Ninguém fez mais que ele pela diplomacia brasileira. A maioria das histórias todos conhecem. Aproveito para contar uma, muito pouco conhecida e que é uma síntese da presença de sua imagem no imaginário de praticamente todos os povos do mundo.

        Quem me contou foi o já falecido Mário Cordeiro  de Menezes que viajava muito com o Santos pelo Brasil e pelo exterior:

- O Brasil – contou-me Mário – já ganhara três copas do mundo e o Santos de Pelé fazia uma excursão pela Europa e em Atenas, na Grécia, um famoso empresário resolveu levar os jogadores para um passeio em seu iate pelo mar Jônico… O iate estava atracado em Ítaca, uma ilha distante, para se proteger de uma tempestade… Ninguém desembarcou, mas de repente espalhou-se pela ilha, ocupada por uma população bastante primitiva (nem os gregos falavam o dialeto local), a informação de que Pelé estava dentro daquele barco. A população enlouqueceu e não houve quem a segurasse: invadiu o iate para abraçar e beijar seu ídolo!

MINHA FRUSTRAÇÃO DE ESCRITOR

        Outra vez, eu passava por Bauru- SP (2002) e ganhei um pequeno livro, escrito por um radialista, que contava as histórias do menino Pelé que vivera na cidade por vários anos, até ser levado, ainda adolescente, para o Santos. É um livro tocante, mas de linguagem rápida, objetiva demais… Botei na cabeça que um dia pediria autorização a Pelé para reescrever aquelas histórias.

        De 1973 a 2007, estive com Pelé poucas vezes e era perceptível – e compreensível – que ele já se esquecera de mim. Em 2007, estive no lançamento da sua biografia em SP. Comprei o livro e sentei-me na frente dele para o autógrafo. A velhice já pusera suas impressões digitais tanto no rosto como na memória.

        Nem cheguei a perguntar se ele se lembrava de mim… Pedi autorização para escrever o livro e descubro que ele já não era dono de si mesmo. Deu-me o nome de um assessor a quem deveria procurar e este me passou para outro e para outro… Triste perceber que o ídolo dos brasileiros não pertence a si mesmo… Pertence a contratos…

        Lembro-me que os maiores cientistas do esporte do Brasil já definiram o corpo de Pelé como uma rara perfeição atlética. Ele tem as medidas certas para a prática de qualquer tipo de esporte. Um corpo que não merece estar numa cadeira de rodas…

5 ideias sobre “Saúde, meu Rei

  1. SERGIO SILVESTRE

    A natureza da e tira,você leva uma boa vida,pisa em entes que poderiam ser queridos,tem uma vida agitada,muita fama,muito glamour,mas ai vem a soma do conta corrente,pra uns a morte vem tranquila como uma brisa entrando pela janela,para outros ela vem junto com a filha abandonada,com os netos mal vistos e os parentes sentados nos galhos secos esperando a carniça.
    Fui pelesista desde que o timão do Santos perdeu para o Palmeiras por 2×1 em 1963 eu com 9 anos,mas com o tempo pude ver que seu mais de mil gols não se compara a bola na trave com sua filha,que morreu de câncer sem que ele se levantasse da cadeira e andasse uns quarteirões at´[e sua casa para um ultimo olhar,
    “NÃO ADENTRE A NOITE MESMO COM TERNURA,A VELHICE CLAMA E QUEIMA” agora os fantasmas e os arrependimentos afloram.Mas saúde ao Pele.

  2. zangado

    Beleza de cronica. De Pelé não sabemos quase nada dessas histórias fantásticas de um personagem fora de série.

  3. Rock

    Agora sim conte suas histórias de vida e as melhores para nós, enquanto isso vc. esquece das mágoas contra o PT. e parabéns pelo relato continue nessa linha quem sabe vai encontrar alguns admiradores ainda.

  4. Dirceu Pio

    Ao Silvestre digo que Pelé, na soma do patrimônio negativo com o positivo este vence de goleada…ao Zangado, meus agradecimentos sinceros e ao Rock, digo que muito provavelmente, daqui a poucos anos, v. olhará para meus escritos e cochichará no ouvido da Patroa: “e não é que o fdp do pio estava certo? abraços

  5. Rock

    Tá bom Pio entrar em jogo de imprensa canalha que desrespeita a todos é estar certo, deixar dominar por mágoas que não entende como te encontraram está certo, com certeza não serei eu que me arrependerei mesmo que 10 % do que vc. diz fosse verdade, mesmo assim vc. destila muito mágoas contra pessoas que nem sabem de tua existência e que não faz diferenças para elas tuas opiniões, ou seja está se martirizando por conta e isso afeta a tua saúde, mas se quer continuar nessa linha quem sou eu para impedi-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>