9:08A história de Toffoli

O Antagonista

Sérgio Pardellas, na Crusoé, listou algumas das decisões de Dias Toffoli na Lava Jato:

“Em junho de 2016, estava nas mãos de Toffoli mais um caso rumoroso envolvendo um petista de quatro costados: o ex-ministro Paulo Bernardo, marido de Gleisi Hoffmann. Não deu outra: Toffoli mandou soltá-lo. Bernardo estava preso preventivamente sob a acusação de desviar dinheiro de aposentados.

Em 2017, o STF encontrou mais uma vez o destino de Dirceu sob sua responsabilidade. O petista cumpria prisão preventiva desde agosto de 2015. Sem titubear, Toffoli foi de novo ‘pule de 10’. Ao lado de Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes, o ex-advogado das campanhas presidenciais do PT assegurou ao ex-ministro um ano de liberdade a mais, antes da condenação em segunda instância.

Em 2018, votou a favor de um habeas corpus a Lula para que o petista pudesse esperar decisão do Superior Tribunal de Justiça, o STJ, a fim de ter a prisão decretada.”

Leia a reportagem completa aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>