16:33Dos anos que se passaram

de Mário Montanha Teixeira Filho

Sinto que os anos deixaram algumas marcas em mim. Não poderia ser de outro modo, visto que o largo tempo passado me permitiu (ou impôs) acumular experiências e um punhado de emoções. De tudo, restou um pouco de cansaço, às vezes confundido com uma contemplação preguiçosa, lenta, do que a vida ainda tem a oferecer.

Sei dos meus desejos, todavia. Quero amor e simplicidade. Não pretendo selecionar caminhos, perder-me em encruzilhadas existenciais, elaborar planos mirabolantes. Bastam-me palavras poucas, os escritos que não devorei, versos compostos de lágrimas e depois lançados no vazio do esquecimento. Lutarei por essa tranquilidade, pela paz de criança que às vezes se anuncia e logo quer escapar, sumir.

Uma ideia sobre “Dos anos que se passaram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>