17:27Tarde

de Nilson Monteiro

Esfumaçam mistérios
e a fé singular evapora
com os sustenidos doloridos
do Ângelus
sobre a mansidão
de seus telhados.

No metal, trompete ou punhal,
do crepúsculo
escorrem relicários e pecados.

Em ventres entumecidos
em dentes cariados e
em bocas ressequidas de paixão
crenças plurais amanhecem virgens
e inexploradas.

Corpos sacros violados pelas horas,
dias e tempos,
sacrifícios e bênçãos
a se dissipar,
desconhecidos e desconhecidas.

Mistérios singram seu ouro
espadas encrespadas em cruz,
braços abertos me amparam
até que passem as tormentas e as cristas
da noite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>