12:30ZÉ DA SILVA

Acha que nasceu com aquela ferida por dentro, a que nunca viu. Talvez ela tenha nascido quando pensou nisso. Foi criação? Pode ser. Para enganar trouxa, ou seja, ele mesmo. Mas como era aquilo de ter medo aos quatro anos de idade – o medo do não? O maior espetáculo da terra virou filme de terror, porque, na porta do cinema, disseram que não podia entrar. Censura: 5 anos. Um mês sem sair à rua, médico desenganando, cura pelo benzedor. O velho Januário colocou o esculápio, que ficou ali até o barbante apodrecer e a imagem cair. Muito tempo depois ela está lá. A ferida. Como sabe? Com o não que vem depois da coragem de ir atrás e dizer sim para o que gosta. Aprendeu a assoprar, viajar aos infernos, colocar unguento para tentar dizer que a ferida é dele, só dele. Criação própria. Eterna enquanto dure – o não, até ele mesmo dizer o sim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>