12:09Imperdível: o primeiro livro do poeta Roberto Prado

c

Do jeito que veio

Roberto Prado lança obra de Amplo Espectro na Biblioteca Pública do Paraná

Construído com carinho há pelo menos três décadas, Amplo Espectro é o livro de estreia do poeta, compositor, radialista, roteirista e publicitário Roberto Prado. Estreia? A notícia pode causar estranheza, em se tratando de um nome amplamente reconhecido nas mais diversas áreas da escrita e da música. Um “estreante”, aliás, que já foi distinguido, entre outras coisas, como um dos 100 mais representativos autores da história do Paraná.

Para se ter uma ideia, com apenas 16 anos de idade, Roberto Prado já tinha seus poemas impressos em diversos jornais e revistas nacionais, lado a lado com nomes consagrados da literatura brasileira. Para ficar apenas em um exemplo, foi o único a ter seus versos publicados em um espaço que, por tradição, era ocupado há décadas apenas por obras do poeta Mário Quintana, no jornal gaúcho Correio do Povo.

Aos 18, Roberto já era um dos elementos fundamentais do Movimento Sala 17, que editou diversas obras e fez história na cena local com seus eventos que atraiam grandes públicos. No final da década de 1970, junto com seu irmão mais novo, Marcos Prado, iniciou uma produtiva carreira paralela no terreno da música popular e suas canções estão presentes em dezenas de discos de um variadíssimo time de parceiros, de estilos que passeiam sem preconceitos da música caipira de raiz ao mais puro punk rock.

O lançamento de Amplo Espectro vem cobrir esta lacuna, trazendo ao leitor, pela primeira vez, um grande conjunto de poemas de um autor que, até então, só era acessível a pequenas doses em antologias, imprensa especializada e na voz de cantores e cantoras.

Dia 31 de maio, a partir das 17h30, no Grande Saguão da Biblioteca Pública do Paraná, Roberto Prado estará recebendo os que apreciam uma poesia forte, corajosa em ao mesmo tempo, cheia de um lirismo arrebatador e deliciosa sonoridade. Além de tudo, como não poderia deixar de ser em se tratando de Roberto, a festa terá o auxílio luxuoso da banda Orquestra Sem Fim, formada por músicos originários de grupos seminais como Beijo AA Força, Maxixe Machine e Contrabanda. A obra, de 176 páginas e com inspirado projeto gráfico de Luiz Antônio Solda, foi editada com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura e Fundação Cultural de Curitiba e o apoio cultural do Grupo Positivo.

 

( MAIS INFORMAÇÕES – becoprado@yahoo.com.br )

SERVIÇO:
- Lançamento do livro Amplo Espectro, de Roberto Prado, 174 páginas – Editora Nossa Cultura
- Local: Biblioteca Pública do Paraná
- Data: 31 de maio, a partir das 17h30
- Projeto Gráfico: Luiz Antônio Solda
- Prefácio: Alberto Centurião
- Posfácio: José Arrabal
- Fotos de Sabina Petrovski e Ícaro Castilho
- Fotos divulgação: Rodrigo Barros del Rei

CURRÍCULO RESUMIDO

Roberto Prado nasceu em Curitiba (agosto de 1959) e desde muito cedo atua nas áreas de poesia, teatro, propaganda, jornalismo, música, rádio, cinema e televisão.


Participou de diversos livros e é parceiro de muitas canções gravadas por vários intérpretes e bandas. Amplo Espectro é seu primeiro livro solo.

 

Algumas realizações

 

Obras em livro: Sala 17 (1978), Reis Magros (1978), Sangra:Cio (1980), OSS (1985), O Corvo (versão do poema de Edgar Allan Poe, 1985), Feiticeiro Inventor (1986), Perolas aos Poukos & Erdeiros do Azar (1988), Os Catalépticos (versões de obras de Dante, Rimbauld, Mickiewicz, Baudelaire, Poe, Yeats, 1990), O Livro de Tao (versão do clássico de Lao-Tsé, l992), Motim (1994), Eu, aliás, nós (1994), O inspetor Geral (adaptação para prosa do clássico de Nicolai Gogol -2005), Tao, O Livro (versão completa, 2000), Passagens (2002), Fantasma Civil (2013), 101 Poetas Paranaenses (2013), Presença de Espíritos – versão impressa e audiolivro com Antônio Abujamra (Nossa Cultura, 2014).
Destacado como um dos 100 mais importantes escritores dos150 anos do Paraná (Antologia das Escritas Poéticas do Século XIX ao XXI – Organização de Ademir Demarchi, Edição da Biblioteca Pública do Paraná – 2013)
Compositor com canções gravadas:

Jogo de Espelhos (Tatára, 1981), Que me quer o Brasil que me persegue? (Beijo aa Força, 1991), Carta ao ídolo (Lábia Pop, 1991), Cemitério de Elefantes (Beijo aa Força, 1992), Network, Vol.1 (Beto Trindade, Sheffield, Inglaterra, 1993), Música Ligeira nos Países Baixos (Beijo aa Força, 1994), Sem Suíngue (Beijo aa Força, 1995), Chega de Choro (Sidail César, 1996), Fogo Mordido (Grupo Fato, 1996), Barbabel (Maxixe Machine, 1997), A Caminho do Céu (Adriano Sátiro,1998), Lototol (Diversos, 2000), O Bom do Trindade (Beto Trindade, 2001), Retrovisor (Oswaldo Rios, 2005), Aquelas Canções de Marcos Prado (Beijo AA Força, 2005), Wojciechowski (2008), ABC do lalalá (Maxixe Machine 2001), Tudo Que Respira Quer Comer (Carlos Careqa, 2009), Beijo aa Força 20 anos (2011), Sambas para Tiro de Guerra (Maxixe Machine, 2012), Punk a Vapor (Contrabanda, 2013), Retalhos (Viola Quebrada, 2013), No Batuque do Coração (Sidail Cesar, 2015), Pessoas são música (José Oliva, 2016).
Jurado em diversos certames musicais e literários, palestrante em inúmeros eventos. Escreveu prefácios para os seguintes livros já publicados:

Ultralyrics (Marcos Prado); Espilce (Adriano Sátiro); Kamikase do Espanto, (Luiz Antonio Solda); InSensu (João Gilberto Tatára); Labirintos (Wilmar Gonçalves de Lima); Ais de Cá (Roberto Bittencourt); Verbe Breve, Cri-Me e

Saboro Nosuko (Antonio Thadeu Wojciechowski), Tantas Lisonjas Que Sentiu-se Nua, (Almir Feijó), Não temos nada a perder (Sérgio Viralobos e Antonio Thadeu Wojciechowski), Microcontos (Luiz Antônio Fidalgo), Eu e a Poesia (Elciana Goedert), Saci (Ulisses Iarochinski) além de estar presente com textos de abertura em muitos programas de peças teatrais e exposições de arte, catálogos de artistas plásticos e cds musicais.
Publicou por mais de dois anos a página mensal de cultura, literatura e artes gráficas Bem-me-quer/Mal-me-quer, no jornal Gazeta do Povo (1996-1999).

Já colocou no ar mais de 200 programas de uma hora sobre a história da música brasileira, o Especial E-Paraná e Especial 97.1. na rádio Paraná Educativa.

Publica regularmente a série Robertos, poemas sobre obras fotográficas do jornalista e blogueiro Zé Beto, com design de Solda.

Além de atuar nas mídias tradicionais, realiza relevante trabalho de divulgação de cultura literária e musical em diversos meios digitais.

Uma ideia sobre “Imperdível: o primeiro livro do poeta Roberto Prado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>