11:41Surto oposicionista

Do Analista dos Planaltos

O Departamento Médico-Político do Centro Cívico informa: surtos oposicionistas são raros, mas costumam atingir políticos nestes períodos de troca de governo. Geralmente são sintomas de perda de status, cargos ou privilégios junto ao corpo do poder. Causam discursos inflamados, mensagens veladas, mania de perseguição e tremedeira. Ao que parece, a primeira vítima em 2019 é o deputado Plauto Miró Guimarães.

Após oito anos comandando a poderosa 1ª Secretaria da Assembleia Legislativa – e com uma atuação discreta, Plauto subiu à tribuna da Casa por dois dias seguidos para pedir informações ao governo sobre gastos na Copel e com aposentadorias de ex-governadores. Na sessão desta terça, foi mais longe: mandou mensagens veladas ao secretário da Casa Civil, Guto Silva, e a outros pares que, segundo ele, teriam sido “gulosos” nos pedidos quando Plauto era o responsável pela gestão da Assembleia. “Vi muita coisa, escutei muita coisa. Tomei o cuidado, nesses oito anos, de tirar cópia de todos os documentos que tramitaram na Assembleia Legislativa. Tenho um pendrive com muitas informações. Tenho fora da Assembleia todas as informações destes oito anos, até mesmo por precaução”, disse Plauto.

As palavras de Plauto ainda estão sendo digeridas e analisadas nos palácios, mas tem gente que tem certeza de que, neste caso, o paciente quer dar a receita para a própria cura.

2 ideias sobre “Surto oposicionista

  1. Observador

    Zé, será que ninguém vai pegar o vídeo do Dep. Plauto e pedir que o MP peça explicações do que foi dito?
    Por exemplo:
    - Quem são os “gulosos”? O que comeram?
    - Nesses documentos tão bem guardados, quais crimes podem imputados aos nobres parlamentares?
    Aguardamos o célere MP…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>