19:53Correntinha de ouro

de Zeca Corrêa Leite

Mãe, me empresta sua correntinha de ouro, deixa eu repousá-la em meu colo, na maciez da pele, enfeitar feito diadema os sonhos escondidos do meu peito. Deixa, mãe, eu passear à beira do rio, ir sozinha por caminhos que não conheço, mas imagino, pressinto, só eu e o caminho e as plantas rasteiras, as águas murmurantes, o sol no céu de um azul pálido e esquecido, um avião passando de vez em quando, pequenininho, silencioso lá nas alturas. Empresta, mãe, sua correntinha de ouro, deixa eu ir para o meu mundo imaginado. Depois eu volto e entrego sua correntinha de ouro, carregada dos meus encantos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>