16:01Cuba fora do Mais Médicos

Jair Bolsonaro nem tomou posse como presidente e o programa Mais Médico vai perder 8.500 profissionais cubanos que delem fazem parte. A decisão oficial é de Cuba, que diz serem inaceitáveis as condições impostas pelo futuro presidente para o acordo continuar. “Além de explorar seus cidadãos ao não pagar integralmente os salários dos profissionais, a ditadura cubana demonstra grande irresponsabilidade ao desconsiderar os impactos negativos na vida e na saúde dos brasileiros e na integridade dos cubanos”, disse Bolsonaro, que exigia a  revalidação de diplomas no Brasil. Atualmente o Mais Médicos  tem 18.240 vagas. Além dos cu banos, 4.721 vagas são ocupadas por brasileiros formados no Brasil e 3.430 por intercambistas , ou seja, médicos brasileiros formados no exterior ou de outras nacionalidades. Quem vai perder com isso? A população dos municípios que nem enfermeiro tem. 

 

Uma ideia sobre “Cuba fora do Mais Médicos

  1. Frik

    A verba que está indo para Cuba tem que ser investida nos próprios “municípios que nem enfermeiro tem”. Vai estar ‘assim’ de enfermeiros, paramédicos e até médicos, sejam de onde forem, aceitando ir trabalhar nestes lugares com uma remuneração razoável e alguma estrutura (que seja emergencial no começo). Um dos pecados destes governos passados foi gerir muito mal as verbas disponíveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>