7:51Uma fraude chamada PT

por  Dirceu Pio

“Eu me apaixonei pelo que inventei de você”…É o que diz a música da Rainha da Sofrência, a goianense de apenas 22 anos, Marília Mendonça…ela mesma não deve saber que definiu com uma frase um dos fenômenos mais instigantes da política  brasileira – essa paixão doentia que uma cada vez menor legião de pessoas dedica ao PT e ao seu líder supremo, o presidiário Luiz Inácio da Silva…

Todas negam as evidências e se deixam apaixonar pelo que elas mesmas inventam a respeito dessas duas entidades malévolas. Não restou mais nenhuma gota de inocência nessa paixão, feita hoje de muito fisiologismo, má fé e mistificação.

Na verdade, essa década e meia (de 2002 a 2016) que a quadrilha se manteve no topo do poder no Brasil será lembrada pela história como a “Era das Fraudes”, um período quase medieval em que toda a realidade foi escamoteada, torcida, invertida…Quando os problemas se acumularam de tal modo que não era possível mais escondê-los, uma presidente foi deposta e a realidade, soberana, emergiu…

Então, todos puderam enxergar que o Partido dos Trabalhadores não passava de um antro de ladrões, capitaneado por um falso líder sindical…Até as manobras escusas do Poderoso Chefão enquanto líder sindical emergiram em delações de empresários à Lava Jato: o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo cortava dos dois lados, ou seja, fingia que defendia a sua classe mas na surdina negociava vantagens pessoais, propinas e pixulecos com os patrões…

FRAUDE ABRIU A ERA PT

Não esqueçamos que ambos assumiram o poder, em 2003, negando tudo aquilo que o partido pregava em sua Carta de Princípios (leia aqui: http://www.pt.org.br/carta-de- principios-do-partido-dos- trabalhadores/), redigida no nascedouro, em 1979.

Embora a bandeira partidária continue vermelha, suas lideranças mudam de cor ao sabor das circunstâncias.  Estas indicavam, aliás, que o partido dificilmente chegaria ao poder em 2002 caso não “amainasse” seus “princípios” esquerdizantes e explosivos…

Não houve problema…o camaleão mudou de cor, apresentou à nação a adocicada “Carta ao povo brasileiro” e abriu alas para a entrada em cena do Lulinha Paz  e Amor, uma primeira e sintomática fraude…

TUDO FOI MUITO PREVISÍVEL

Digo sintomática porque quem se der ao trabalho de ler a Carta ao Povo Brasileiro poderia até prever o tipo de governo que surgiria sob comando de Luiz Inácio e depois sob Dilma Rousseff: nela, o PT se comprometia com um projeto inorgânico, mal desenhado, contraditório, meio sem pé nem cabeça….(leia aqui: http://www1.folha.uol.com.br/ folha/brasil/ult96u33908. shtml)…a única coisa que ficou suficientemente clara é que o novo governo iria respeitar os contratos, uma  sinalização oportunista ao mercado financeiro que até então via o PT como um partido incendiário…

Não que a Carta de Princípios contivesse coisa que preste, mas ela era orgânica e representativa do pensamento da base partidária…nas eleições de 2002, que levaram Luiz Inácio ao topo do poder, o eleitor comprou o que viu e recebeu o que não viu…

E o mais grave já estava lá bem demarcado:“A questão de fundo – diz a Carta de 2002 -  é que, para nós, o equilíbrio fiscal não é um fim, mas um meio. Queremos equilíbrio fiscal para crescer e não apenas para prestar contas aos nossos credores”.

A frase “queremos equilíbrio fiscal para crescer”  deveria ter deixado todos os brasileiros de cabelo em pé….ficava explícito o desprezo dos governos petistas  pelo controle fiscal  e a paixão pela gastança sem limite e sem sustentação….Deu no que deu….

GOVERNO CENTRAL É ESPELHO

O grande problema do sistema federativo é que o poder central tem uma imensa capacidade de irradiar comportamentos por todas as unidades.

Quando se rouba muito no topo da pirâmide, roubarão também muito nos estados e municípios; grandes desobediências ao controle fiscal no topo da pirâmide produzirão também forte indisciplina na base… E o resultado é isso que se vê: um país na antessala da falência…

O jornalista Ênio Mainardi escreveu ainda esta semana no site A Reunião: “Não há Democracia com o povo mantido na ignorância”. 

Esta é uma lei que se impõe com a modernidade, mas que o PT  tentou corromper: seus líderes fingiram o tempo todo que investiam em educação,  mas também esta semana o jurista Eduardo Virmond, de Curitiba, derrubou a falácia ao  apresentar uma estatística divulgada pelo Spectators Index . Nela, o Brasil é colocado em 119º  lugar em qualidade de educação no ano 2017. Ficamos atrás da Turquia, da África  do Sul e até do Paquistão…

IDH CAMINHOU PARA TRÁS

Outra empulhação que tentam nos impor é que Lula e Dilma promoveram forte distribuição de renda. Uma análise do desempenho  do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) no período iniciado em 2003 e encerrado em 2016 mostra que houve involução.

Para quem não sabe, o IDH é um índice definido pela ONU desde 1993 para medir o desenvolvimento dos povos….Baseia-se em três aferições:  as condições da saúde, medidas pela expectativa de vida, o que leva em conta o índice de mortalidade infantil; o acesso ao conhecimento, medido pelo índice de alfabetização a contar dos 15 anos e o número de matrículas escolares; e evolução de renda…

Pois bem: Luiz Inácio pegou o país de FHC em 63º lugar no ranking de IDH (0,792) e Dilma Rousseff o entregou  (2016), em 79º lugar (0.754)…

Nesse período de quase 15 anos, enquanto o Brasil caminhou perigosamente para trás, a Rússia evoluiu da 62ª posição para a 49ª posição. É difícil conter o desejo de associar essa excepcional prosperidade russa ao fim do regime comunista (1991) e  o atraso brasileiro, ao bolivarianismo dos governos Luiz Inácio/Dilma…

Agitaram o tema da reforma agrária, mas Luiz Inácio e Dilma assentaram em 14 anos quase a mesma quantidade de agricultores que FHC assentou em oito anos…E além disso, transformaram o MST num grupo armado de sustentação do poder com práticas nazi-fascistas….

Tudo agora faz sentido: para se apaixonar por coisas tão feias, só mesmo inventando muitas coisas bonitas pra por no lugar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>