19:22ZÉ DA SILVA

Inspirado numa reportagem premiada, que reproduziu em muitas linhas o diálogo entre uma búfala e um búfalo durante uma feira agropecuária, ele resolveu pensar grande e imaginar qual teria sido o bla-bla-bla entre os bichos que foram recolhidos por Noé na Arca para enfrentar o dilúvio. Tal esforço, pensou, ia merecer um Nobel da Literatura, um prêmio Luis de Camões… melhor, um Jabuti, já que o assunto era animalesco, para exagerar na expressão. Passou anos visitando o zoológico da cidade, estudando o comportamento de todos os animais, principalmente olhares, gestos e, ok, o som que emitiam. Se utilizou do papai gugol para estudar os compêndios científicos a respeito de dos bichos. Quando se sentiu preparado para iniciar sua obra antalógica, teve um piripaque e morreu com a cara esmagada no teclado do computador. O enterro foi dos mais simples. Era um ilustre desconhecido até dos familiares. Tempos depois, em cima da cova rasa, começou a nascer capim. Um dia um pangaré foi visto ali, se alimentando. Quem chegou mais perto jura ter ouvido o quadrúpede falar: “Sifudeu, hein?”

Uma ideia sobre “ZÉ DA SILVA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>