8:18No tempo em que a honestidade era comum

por Jamur Jr.

Um sai pela porta dos fundos carregando mala cheia de dinheiro, outro é suspeito de ser dono de várias malas e caixas de dinheiro na Bahia, outro recebe propina por ajudar a desviar dinheiro público – e assim eles vão mudando o cenário moral do país, alterando os reais valores humanos, movidos pela ganância e o enriquecimento fácil. Nem sempre foi assim, ouvi dizer. Pelo que sei, por exemplo, na época do governador Ney Braga as coisas eram muito diferentes. Lembro de uma história real ocorrida na Secretaria da Educação que funcionava no velho prédio da Rua Ébano Pereira. Naquela tempo as nomeações para professores eram usadas por alguns políticos como forma de agradar eleitores e criar  uma imagem de amigo  e benfeitor de todos. Era comum parlamentares circulando nos corredores da secretaria à procura dos oficiais de gabinete que poderiam indicar os nomes dos nomeados para alguma escola pública de sua área de atuação politica. Certa ocasião um desses políticos com mandato chegou com a carteira cheia, pronto para tentar subornar um oficial de gabinete. Exibiu “suas armas” de corruptor e recebeu uma reprimenda que ficou famosa: “Deputado, saia já desta sala. Já, já…”, disse o indignado servidor público.Nome do oficial de gabinete: Domenico Filizola, um exemplo de conduta exemplar, dignidade e honestidade na função pública. 

Uma ideia sobre “No tempo em que a honestidade era comum

  1. Zangado

    Ao terminar de ler o texto estranhamente ouvi uma gargalhada geral, eram de parte dos homens do dinheiro nas malas, na cuecas, nas caixas 2 deste país … Expressionante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>