18:19ZÉ DA SILVA

Entrei na tumba do faraó e o que ganhei foi a coluna estropiada. Ai, como era grande! Duas horas olhando o teto de vidro lá perto das nuvens – e depois não consegui mais colocar o pescoço e o resto no lugar. Aí foi a vez do sarcófago. Tomografia. Fechei os olhos e vi Jesus Cristo sem barba voando de Ferrari conversível em autoestrada alemã. E nada de sair daquele espaço apertado. Fechei os olhos de novo – apareceu Edir Macedo. Nessa hora tive certeza que o problema era grave. O médico fez cara de sabido quando olhou o resultado. Todos fazem cara de sabido, afinal, estudam para ser Deus. Vai entrar na faca, ele não falou – mas é assim que traduzo o tal de procedimento cirúrgico. O problema é a veieira, vulgo, estado degenerativo. Lembrei então que minhas mãos tremem mais do que no tempo em que precisava tomar uma para firmar o purso. Pode ser, o doutor não garantiu. Me enfiei debaixo das cobertas e pedi um milagre. Veio uma pizza. O cachorro latiu. Paguei com cartão de crédito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>