8:08Reinaldo de Almeida César entra na disputa para ser diretor geral da Polícia Federal

Da coluna de Leandro Mazzini

Deu ‘B.O.’ na PF

Uma guerra interna de apadrinhados na Polícia Federal travou a nomeação do novo diretor geral da Polícia Federal, e Leandro Daiello fica no cargo por ora. O presidente Michel Temer nomearia Fernando Segóvia, mas houve alta rejeição de quadros importantes da corporação, por ser um apadrinhado de José Sarney e de parte do PMDB. Numa última tentativa, Segóvia conseguiu na sexta-feira o apoio velado da Federação dos Policiais Federais e da Fenadepol, que abrange parte dos delegados. Porém a categoria mais forte, a Associação Nacional dos Delegados, o barrou. As classes que apoiam Segóvia agora querem apadrinhar o delegado Reinaldo César, ex-secretário de Segurança do Paraná.

Uma ideia sobre “Reinaldo de Almeida César entra na disputa para ser diretor geral da Polícia Federal

  1. Muito trabalho

    Da cúpula

    Segóvia ainda tem chances, mas menores; já o DG Daiello, que fica por tempo indeterminado, aponta internamente o delegado Luiz Pontel como seu favorito.

    Subiu

    O preferido dos militares do GSI do Palácio do Planalto é Rogério Galloro, o nº 2 da PF. Como Segóvia perdeu força, passou a ser o nome apoiado pelo ministro Torquato.

    Da alta

    Segóvia ainda tem outros padrinhos fortes, como o ministro Gilmar Mendes (STF e TSE), e Sandro Avellar, ex-secretário de Segurança do DF.

    Movimentos

    Dia 29 de agosto a Coluna soltou as indicações. Na sexta, a Abrapol, APCF, Fenadepol, Fenapef e Sinpec soltaram nota apoiando o trio – mas seu favorito é Segóvia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>