12:12O ANARQUISTA

TAPUMES

 Tapume da vergonha

O Rio de Janeiro levantou tapumes coloridos para esconder a favela aos estrangeiros que virão à Olimpíada. Numa prefeitura de Jaime Lerner, reunido o conselho do evento internacional, uma dondoca sugeriu tapume para esconder a Vila Pinto, com vergonha dos gringos que desceriam no Afonso Pena. O Rio segue o exemplo de cima: o candidato Donald Trump promete elevar o muro que separa os EUA do México. Solução para os pobres que enfeiam a cidade dos ricos. Não daria para melhorar a cara dos pobres?

Faz sentido

“Para eu não ser candidato é só o Brasil dar certo” – Lula, ególatra e messiânico. Mas tem razão. Se o Brasil puser na cadeia os principais corruptos, entre eles dois ex-presidentes, Lula não será candidato. Será o Brasil dando certo. Logo, Lula será candidato.

Dinheiro não fede

Michel Temer estuda criar agência reguladora da jogatina. Ambiente para gerar trocados ao fisco e emprego a políticos, que levam a parte do leão. Por que não as estatais da droga, da venda de armas, da prostituição? Seriam minas de dinheiro e caixa para os partidos.

Se o crime é a única atividade que compensa no Brasil, então por que não compensar para o fisco, um tiquinho que seja, como sempre. Nessas agências não haveria discussão sobre a Lei das Estatais: todos os políticos estariam habilitados aos cargos de direção.

Caveat companio

A vaquinha aérea de Dilma recolheu R$ 727 mil até agora. A meta inicial era de R$ 500 mil, mas mesmo ultrapassada é pouco considerando a importância da presidenta e a gravidade do ‘golpe’ aplicado contra seus 44 milhões de votos. Se Dilma aprendeu alguma coisa no inferno que vive – e tudo indica que não aprendeu -, deveria controlar o dinheiro. Cuidado com os companheiros.

(ROGÉRIO DISTÉFANO)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>