7:09Como Requião quer mudar o Brasil

O senador Roberto Requião (PMDB/PR) é um dos participantes do livro “Por que Gritamos Golpe”, que será lançada neste mês pela Editora Boitempo. Seu artigo “Para mudar o Brasil” teve trechos publicados na edição desta semana da revista CartaCapital. Quem conhece o pensamento do ex-governador não precisa ler para saber que nele está o ataque ao “deus mercado” e as críticas que faz ao “andar de cima”, como se ele fosse o guru que saiu da pobreza para, a custa de muito trabalho e esforço, ser o novo antonio conselheiro a guiar os esfarrapados contras as zelites, como fez seu guia espiritual Hugo Chávez na Venezuela. Requião, que em oito anos transformou o Paraná em terra devastada e protagonizou o mais longo espetáculo humorístico da história da televisão paranaense, com sua “escolinha”, onde achincalhava secretários de Estado e estes riam amedrontados e abestalhados, prega a resistência nas ruas, nas fábricas, no campo, nas igrejas, nos legislativos municipais e estaduais e no Congresso ao “golpe do impeachment”, seguindo o que diz sua mente que vive em mania – mania de ser líder e que uma foto onde aparece, jovem, com os olhos esbugalhados, reflete bem o que isso significa. Ah, sim, ele prega a resistência nas escolas, revelando quem é o espelho da APP-Sindicato do Paraná. E já que estamos falando em delírio, não seria demais pensar na esbórnia total de um país comandado por este senhor e com Marlei Fernandes como ministra da Educação. Claro que não se sabe quem escreveu o catatau, mas a certeza é que não foi Luiz Fernando Delazzari, seu assessor. Provavelmente o fiel companheiro e escriba Benedito Pires seja o autor do panfleto que, para recordar o tempo dos mimeógrafos os ijmpressos sustentavam os pensamentos de meio século atrás, termina assim: “Não está morto quem luta. Não morreu quem sonha”. Ok, é uma frase feita que poderia estar em qualquer livro de autoajuda para imbecis, mas que serve como uma luva para os abduzidos eternos, os que acham que fanfarronice é característica de liderança.

5 ideias sobre “Como Requião quer mudar o Brasil

  1. Nalata

    Agora vamos esperar as manifestacoes dos abduzidos SS e Toledo! A comedia ira comecar!

  2. TOLEDO

    Eu acho o Piá de Prédio, o Poecio e o Franquestemer, muito mas muito melhores que o Requião, o na Tampa (lata ) tambem. Silvestre, tenha pena desses coxinhas.

  3. sergio silvestre

    Pois é,vejo a esculhambação do Pais sendo o Requião presidente,blogueiros pagos com dinheiro publico para falar bem de políticos ir carpir café e juízes pedindo sua cassação por causa que tirou parte dos seus vultosos salários como já aconteceu.
    Requião é tão ruim que já foi três vezes governador e só não foi a quarta por que o esquema em cima foi até com quadrilheiros que roubavam o estado e devolviam parte para a campanha do governador atual.
    Fácil satanizar as pessoas ,é só não mostrar seus feitos,mas vi o texto acima parecendo um dos comentários da CLAC do Fabio Campana.
    Não vejo a imprensa ir para cima do Beto Richo,mas vamos a comparações numa cidade onde o Requião fez 17% dos votos contra 78% do atual.
    Ele fez 15 km de pista dupla na strass em 6 meses,o Beto Richa está a 5 anos cavocando em 5 km de rodovia 445.
    Requião fez o hospital dos queimados,Beto Richa fechou,Requião fez a patrulha escolar,Beto Richa acabou com ela aqui em Londrina,
    Pois bem,se o Requião tivesse mais anos atuando seria sem duvida pela quarta vez governador.
    De resto são magoas de ofendidos que ele não da trela mesmo,chuifhhh.

  4. Larry de Camargo Vianna Nascimento

    Ele que devolva os dolares que seu irmão guardava em casa dentro de armário e do qual a empregada tomou emprestado 150 mil e ele não falta deu. Imaginem quanto dolares tinha no armário?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>