7:05O mundo em que se vive não é perfumado

por Raymond Chandler

O realista em assassinato escreve sobre um mundo no qual gângsteres podem comandar nações e quase comandar cidades, no qual os hotéis e pensões e restaurantes famosos pertencem a homens que fizeram sua fortuna por meio de bordéis, no qual um astro de cinema pode ser um olheiro da máfia, e o homem simpático do fim do corredor é o chefe do jogo do bicho: um mundo onde um juiz com uma adega cheia de bebida contrabandeada pode mandar um homem para a cadeia por ter uma garrafa de bebida em seu bolso, onde o prefeito de sua própria cidade pode compactuar com assassinatos como um instrumento de enriquecimento, onde nenhum homem pode caminhar por uma rua escura em segurança porque a lei e a ordem são coisas sobre as quais nós falamos, mas nos abstemos de praticar [...] Não é um mundo perfumado, mas é o mundo em que se vive [...]

Uma ideia sobre “O mundo em que se vive não é perfumado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>