7:56Zé Roberto 70

Zé Roberto completa hoje 70 anos. Merece todas as homenagens pelos que fez dentro de campo vestindo as camisas do Atlético Paranaense, Coritiba, São Paulo, Corinthians, Guarani e Seleção Brasileira que disputou os Jogos Olímpicos de Tóquio. Para resumir a dimensão de seu futebol, fica a definição do grande craque Dirceu Krüger: “Dos que eu joguei ao lado, contra e vi atuar, só ficava abaixo do Pelé”. Precisa mais? Segue o levantamento feitor pelo site Terceiro Tempo sobre a carreira do jogador. Confiram:

por Rogério Micheletti
José Roberto Marques começou a carreira de jogador no São Paulo Futebol Clube, mas ganhou fama mesmo defendendo o Coritiba, o Corinthians e o Atlético Paranaense.

 

Em 2013 foi internado em uma clínica de Serra Negra, onde reside, por conta de um grave AVC (Acidente Vascular Cerebral), que deixou seu braço direito paralisado.

 

Nascido no dia 25 de maio de 1945 na capital paulista, Zé Roberto foi um dos grandes pontas-de-lança que o Brasil produziu na década de 60. Ele brilhou também com a camisa da seleção brasileira nas competições de futebol dos jogos olimpicos do Japão em 1964. Nos preparativos, em um amistoso, Zé Roberto chegou fazer cinco gols contra a Argentina.

 

Alto, magro e dono de grande habilidade, Zé Roberto também era um jogador oportunista. Um dos gols mais marcantes da carreira dele foi em um clássico entre Corinthians e São Paulo.

 

No dia 9 de outubro de 74, o Timão, de Zé Roberto, decidiu com o Tricolor o título do primeiro turno do Paulistão. Com gol dele, aos 2 minutos da etapa final, o Corinthians venceu o jogo por 1 a 0, no Pacaembu, e assim conquistou o direito de disputar a final do estadual (que seria vencida pelo Palmeiras).

 

Antes do Corinthians, Zé Roberto teve uma passagem pelo Guarani, Atlético Paranaense e foi ídolo da torcida do Coritiba. Pelo Coxa Branca, ele foi campeão do Torneio do Povo, em 73, e tetracampeão paranaense (1971, 72, 73 e 74). Além do sucesso no futebol do sul do país, também defendeu, em 1977, a equipe do ABC de Natal.

 

Depois do Corinthians, equipe na qual atuou em 60 jogos e marcou 17 gols (números do “Almanaque do Corinthians” – Celso Unzelte), Zé Roberto voltou a atuar pelo Atlético Paranaense e encerrou a carreira.

 

Como não consegue viver longe do futebol, Zé Roberto trabalha hoje como professor em escolinha de futebol na cidade de Serra Negra (SP).

Ainda sobre Zé Roberto no dia 17 de outubro de 2008, o site Terceiro Tempo recebeu do internauta José Maria Gonçalves (itajubasjc@ibest.com.br), o seguinte e-mail:
Milton Neves,

“José Roberto Marques – Atacante – Clubes: São Paulo, Guarani, Atlético, Corinthians e Coritiba
Zé Roberto, um dos maiores talentos da história do futebol brasileiro. Nos anos 60 e 70, era um craque indiscutível. 
Filho de Jerônimo, ex-ponta-direita do Corinthians nos anos 40, Zé Roberto começou sua carreira em 1962, no infantil do São Paulo. Em 1964, já estava na Seleção Brasileira que disputou os Jogos Olímpicos de Tóquio.
Antes de se tornar jogador de futebol, mesmo na várzea, Zé Roberto teve dois empregos: auxiliar de escritório e auxiliar de corretor da Bolsa de Valores. Viveu com seus avós, Cidália e Mário de Abreu, até os 13 anos, em Ribeirão Preto. Depois que terminou o primário, passou a jogar no infantil do Botafogo, escondido da avó. Depois foi para o São Paulo, onde passou a ser considerado o maior talento do clube”. 
José Maria Gonçalves

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>