17:23Faltava um alerta? Não falta mais!

O Tribunal de Contas do Paraná informa: 

TCE emite novo alerta ao Estado por excesso no gasto com pessoal em 2014

Despesas atingiram 48,38% da receita corrente líquida durante o 2º quadrimestre de 2014, ou 98,73% do limite estabelecido pela LRF. Alerta gera restrições para concessão de vantagens e obtenção de recursos externos

O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) emitiu nesta quinta-feira (28 de maio), novo alerta ao Governo do Paraná por excesso nos gastos com pessoal. A análise se refere ao segundo quadrimestre de 2014. No período a despesa com pessoal consumiu 48,38% da receita corrente líquida, o que representa 98,73% do limite prudencial estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), de 95%.

O alerta foi emitido durante a sessão do Pleno do TCE e foi relatado pelo conselheiro Durval Amaral. O Artigo 22 da LRF determina uma série de restrições quando a administração ultrapassa o limite de gastos com pessoal. Neste caso, o poder ou órgão público fica impedido de conceder vantagem, aumento, reajuste ou adequação de remuneração aos servidores, criar cargo, emprego ou função, além de admitir pessoal. 

O gestor que não observa as vedações fica sujeito às sanções previstas na Lei da Improbidade Administrativa e torna-se impedido de receber transferências por convênio, obter garantias, diretas ou indiretas de outro ente e contratar operações de crédito. Aprovada por unanimidade pelo Pleno do TCE-PR, a emissão do alerta seguiu instrução da Diretoria de Contas Estaduais (DCE) e parecer do Ministério Público de Contas (MPC).

 

Serviço

 

Processo : 934647/14
   
Assunto: Alerta
Entidade: Estado do Paraná
Interessado: Carlos Alberto Richa
Relator: Conselheiro José Durval Mattos do Amaral

 

Uma ideia sobre “Faltava um alerta? Não falta mais!

  1. Zangado

    Mas não foi porisso que o governador garantiu aumento de salário para si, seus parentes, secretários e apaziguados já no primeiro ato de seu novo mais que velho governo?
    Só de família governamental vai mais de um milhão/ano do nosso bolso.
    O resto, porque resto são, ficam para as calendas …
    Em tempo: o tribunal faz de contas garantiu-se com auxílio moradia já morando aqui – o resto, porque resto, são morem onde quiserem mas sem auxílio …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>