10:16O homem da gravata listrada

Um curioso com memória viu a foto romântica do dr. Fachin beijando a mulher ontem no Senado e captou a figura de alguém conhecido ao fundo, de gravata listrada (ver abaixo). Aposta que o trabalho de Jorge Luiz Fontoura nos bastidores foi muito importante para a aprovação do jurista porque ele é muito conhecido e respeitado por todos os senadores, independente de partidos. Fontoura é contemporâneo de Fachin na Universidade Federal do Paraná, trabalha no anonimato, é simpático, afável e, segundo o curioso, pertencia à turma da Rua Riachuelo, no tempo em famílias moravam por lá. A trajetória profissional dele impressiona. Confiram: gravatalistrada.

 

Foto de Jefferson Rudy /Agência Senado

Jorge Fontoura é doutor em direito internacional pela Universidade de Parma, Itália, e pela Universidade de São Paulo, USP, Brasil; atua na área jurídica como professor, advogado, árbitro internacional e consultor. Como docente, é professor titular e examinador de concurso de ingresso ao Curso de Preparação à Carreira de Diplomata do Instituto Rio Branco, em Brasília, onde também atua como professor da disciplina Solução de Controvérsias Internacionais e Arbitragem. Possui como especializações o curso da SIOI, (Società Italiana per l’Organizzazioni Internazzionali), com estágio nas instituições comunitário-européias em Bruxelas e em Luxemburgo, o curso de Integração Ásia-Pacífico, da OEA/Universidad de Los Andes, Santa Fé de Bogotá, Colômbia, o curso do Comité Jurídico Interamericanao, OEA, o curso da Academia de Direito Internacional, da Haia, o curso de Estudos Avançados em Integração Regional e Blocos Econômicos, CEFIR/Colégio Europeu de Maastricht, e o diploma de aperfeiçoamento da Escola da Magistratura do Reino da Espanha, Barcelona.

Como docente, tem atuado em bancas de mestrado e de doutorado na Universidade de São Paulo, na Universidade de Brasília e na Universidade Federal do Paraná. Foi ainda coordenador cientifico do Primeiro Encontro de Cortes Supremas do Mercosul, no Supremo Tribunal Federal, em Brasília. É membro do Instituto dos Advogados do Distrito Federal e do Instituto dos Advogados do Paraná e foi membro consultor da Comissão de Relações Internacionais do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, OAB (licenciado). Por concurso de provas e de títulos foi Assessor Legislativo na Assembleia Nacional Constituinte de 1986, e assessor do Senador Marco Maciel, para propositura e aprovação da Lei Brasileira de Arbitragem, Lei 9.307, de 1996. Por concurso de provas e de títulos é consultor legislativo do Senado Federal (licenciado) e por designação da presidência do Conselho Nacional de Justiça, CNJ, é Coordenador Internacional da Comissão Permanente de Articulação Federativa. Comissionado pelas Nações Unidas, foi observador eleitoral em Guiné Bissau. Por designação da presidência do Superior Tribunal Eleitoral do Brasil, foi observador eleitoral nas eleições da República do Paraguai, em 2008.

Como árbitro, atuou em câmaras internacionais de solução de controvérsias, na Câmara de Arbitragem de Paris, ICC, e na Câmara de Arbitragem de Helsinque, Finlândia. Como autor de textos jurídicos, publicou livros, artigos científicos e cursos de ensino a distância, tendo sido vencedor do Concurso de Monografias alusivo aos 500 anos do Descobrimentos, na Universidade de Coimbra, Portugal. Como conferencista, tem participado de seminários e cursos jurídicos em diversos países, na área de direito internacional publico e de solução alternativa de controvérsias, na Faculdade de Direito de Paris, Panthéon-Sorbone, na Universidade de Coimbra, na Universidade de Lisboa, no Seminário para Cursantes de Academias Diplomáticas do MERCOSUL, em Montevideu, e no Instituto de Serviço Exterior da Nação Argentina, ISEN, Buenos Aires. É colaborador dos jornais Correio Braziliense, em Brasília, e Gazeta do Povo, em Curitiba, onde escreve artigos de opinião.

2 ideias sobre “O homem da gravata listrada

  1. leandro

    Pô ! Com toda essa bagagem não seria melhor ter sido o cidadão indicado para o STF ? Como não foi o caso, com certeza dará todo o apoio ao indicado e quem sabem irá assessorá-lo na corte suprema do país.

  2. CURITIBANO ROXO

    Este sim é paranaense nato e se fosse indicado ao STF seria do agrado de milhares de conterrâneos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>