12:20Massacre em Brasília

Ao enviar Edson Lau Filho, assessor especial de políticas públicas para a juventude, para representá-lo na audiência pública do Senado sobre a guerra da semana passada no Centro Cívico, o governo do Paraná provavelmente estava querendo ser massacrado em Brasília. E foi. Diante das imagens da ação policial, com bombas e tiros com balas de borracha, Lau Filho disse, segundo relato do repórter André Gonçalves, da Gazeta do Povo, que  “os sindicatos são mestres na arte da vitimização e do drama” e que “houve postura de confronto por todos os lados”. A oposição, capitaneada pelos senadores Roberto Requião e Gleisi Hoffmann e com apoio dos deputados estaduais Tadeu Veneri e Professor Lemos, levou até o cinegrafista da Band que foi mordido por um cachorro da tropa de choque – e ele mostrou a calça ensanguentada para a plateia. As cenas da ação policial tomaram conta do ambiente. O máximo que se poderia dizer ali é que a estratégia militar adotada foi um desastre e pedir desculpas pelo ocorrido cuja tradução final foram os 200 feridos.

2 ideias sobre “Massacre em Brasília

  1. Intransigência

    E a audiência pública para discutir o estelionato chamado FIES sairá quando? A Barbie e a Maria Louca já marcaram?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>