7:19Como diria o Jô

por Ruy Castro

Varanasi é uma cidade sagrada da Índia, às margens do Ganges, com 3.000 anos de idade e 2 milhões de habitantes. É um complexo de templos históricos, e muitos hinduístas a escolhem para morrer -acreditam que isso lhes abrirá o caminho da salvação. Milhões a visitam e decidem que, quando morrerem, querem que suas cinzas sejam jogadas no rio. Os templos de Varanasi são também um refúgio de centenas de macacos, igualmente sagrados. Não se pode enxotá-los ou fazer-lhes mal.

A Índia lançou um programa de US$ 18 bilhões para informatizar o interior do país. Isso inclui instalar 700 mil quilômetros de cabos de banda larga para criar redes públicas de wi-fi. Talvez por seu simbolismo, Varanasi foi escolhida como a primeira de 2.500 cidades indianas a ingressar de vez na era digital. Mas, num lugar onde o solo também é sagrado, é proibido instalar cabos subterrâneos. Donde a fiação é aérea, corre à margem do Ganges e atrai os macacos, que adoram roê-la, mastigá-la, cuspi-la e inutilizá-la.

É um impasse. Sem os cabos, não haverá mídias on-line ou plataformas eletrônicas, e milhões de smartphones deixarão de ser vendidos -imagine o prejuízo das corporações. Mas prefiro pensar diferente. Os cabos fornecem aos macacos sagrados uma grande fonte de prazer -devem ser tão bons de mascar quanto os chicletes com que nós, humanos, exercitamos os maxilares.

Se esses macacos fossem brasileiros, fico pensando em do que seríamos poupados: jornais on-line mal escritos; mensagens debiloides que terminam com kkkkkkkkk; trocas de insultos e agressões por causa de política; propaganda eletrônica que se intromete em nossas telas; robôs a serviço do governo ou do PT funcionando dia e noite com o dinheiro do contribuinte; etc. etc.

Como diria o Jô Soares, os macacos estão certos.

*Publicado na Folha de S.Paulo

2 ideias sobre “Como diria o Jô

  1. Professor Xavier

    Não exagere, aqui onde os cabos da rede wifi são roubados para serem vendidos para os receptadores já adredemente conhecidos. Mas concordo com você em um ponto, quando as redes funcionam as conversas são assim mesmo, muita besteira, kkkkks e agressões por causa das escolhas feitas.

  2. m.n

    O debate e a controvérsia podem ser cansativos e desgastantes, mas são imprescindíveis no processo democrático. Este, por excelência, comporta o contraponto, a divergência. Mas tem gente que não está acostumado com isso e não se dá conta de que os tempos são outros. Entre esses estão principalmente os privilegiados por um sistema de informação que dava voz a poucos.
    A internet tem muita coisa inútil, mas é ela, sem dúvida, que nos tirou da tirania informacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>