8:26Considerações sobre uma fruta

por Yuri Vasconcelos Silva

O Jogo da Imitação (dir. Morten Tyldum, 2014), é um filme que trata de um trecho biográfico na vida de Alan Turing, matemático inglês, gênio e pai da computação. Teve enorme contribuição para o fim da 2a guerra mundial quando bolou uma máquina que decodificou as mensagens transmitidas através do famoso dispositivo nazista de criptografia, o Enigma. Os segredos do breve 3º Reich se tornaram legíveis aos Aliados – e a máquina de Turing entrou para a história como o primeiro computador da era moderna.

Por ser gay, Alan Turing foi condenado a ser quimicamente castrado. Depois disso, decidiu se matar. Tudo isso é interessante e também horrível mas, considerando a existência do filme, livros e google, seria interessante focar em um ponto menos óbvio: na maçã. Para o suicídio, Turing mergulhou o fruto em cianureto e o comeu. Na verdade, o veneno foi tão eficaz, que bastou uma mordida para cair morto. O cientista buscou um simbolismo intrigante, e um tanto dramático, para sair de cena. A maçã é a fruta emblemática que carrega consigo dezenas de significados. O mais antigo registro coloca este fruto como a transgressão, o pecado que trouxe a humanidade a este ponto. Oferecido por uma serpente à primeira mulher que já andou por estas paragens, de acordo com o velho testamento, Eva mordeu e ofereceu a Adão o fruto que até então era proibido. Foram expulsos do paraíso após a primeira mordida. Tiveram acesso instantâneo ao conhecimento e isso nos trouxe problemas. Nunca mais as coisas foram as mesmas. A maçã aparece de novo em outra mudança substancial da história. Desta vez, no campo das ciências naturais. Por um bom tempo esteve Sir Isaac Newton tentando compreender que tipo de força traz tudo sempre de volta ao chão, faz a lua girar em torno da Terra e todo o resto em torno do Sol. Mas não compreendeu. Um dia, teria se sentado sob uma macieira, quando o fruto caiu em seu cocuruto, trazendo desta forma o conhecimento para equacionar o problema. Ainda hoje não se sabe por que a gravidade funciona assim, mas a maçã de Newton teria revelado as equações necessárias para prever um bocado de experiências, da trajetória de uma bola de futebol até mandar curiosos jipes para Marte. Já em um dos contos adaptados pelos Irmãos Grimm, que se tornou o mais popular desenho de Walt Disney, a protagonista é finalmente assassinada pela vilã através de uma única mordida em uma maçã envenenada. Tal qual Alan Turing.

Atualmente, a companhia mais valiosa do mundo, tem como marca apenas uma austera maçã mordida, representando talvez o acesso ao conhecimento universal. Ou ao pecado. Ou à morte? A primeira versão da logo da Apple era a imagem de Newton sob uma árvore, prestes a ter sua epifania graças ao fruto cadente. Quando a marca ficou mais simples, com o perfil da fruta mordida toda preenchida pelas cores do arco-íris, muitos acreditaram que teria sido uma homenagem ao inventor da informática, Alan Turing. O colorido alegre seria uma alusão clara à maçã de suicídio do cientista condenado por ser gay. Todos os computadores da Apple utilizam a raiz “Mac” em seus nomes, pois são variantes de McIntosh, um tipo de maçã bastante popular na América do Norte.

Se desejar impressionar amigos em uma noite chata, solicite de surpresa que alguém pense rápido numa cor, ferramenta e fruta. O solicitante poderá então declarar, com uma boa probabilidade de acerto, que o outro pensou na cor vermelha, em um martelo e – novamente ela – na fruta maçã. Isso não seria magia. Estaria mais próximo de psicologia ou semiótica. Ainda assim, se quiser causar uma boa impressão, diga que é clarividente.

Por fim, a maçã mais persistente na memória e saborosa é a que existe dentro da torta da Minie num clássico episódio em que o Mickey precisa varrer as folhas do jardim enquanto uma maravilhosa torta quente de maça esfria na janela da cozinha de Minie. Ainda que o Mickey precise enfrentar um tornado, nenhuma criança que tenha visto este desenho esquecerá da famosa torta americana de maçã produzida pela Disney.

Obs.: A queda da maçã na cabeça de Isaac Newton é possivelmente uma lenda. Não há qualquer registro que isso de fato tenha ocorrido. O desenvolvimento da Lei da Gravidade ocorreu através de observações e experimentos ao longo de duas décadas.     

*Yuri Vasconcelos Silva é arquiteto                                             

2 ideias sobre “Considerações sobre uma fruta

  1. Franco

    Interessante.
    Mas vale lembrar que, em nenhum momento, a Bíblia fala como sendo maçã o tal “fruto proibido” da árvore do conhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>