8:23Delator revela propina a ex-diretor da Petrobras ‘em mais de 60 contratos’

Da coluna Painel, da Folha de S.Paulo

Distribuição de lucros O ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco admitiu em depoimento na Operação Lava Jato que ele e o ex-diretor Renato Duque receberam propina “em mais de sessenta contratos” da estatal de 2005 a 2010. Barusco, que afirmou ter recebido indevidamente US$ 97 milhões, declarou que Duque tinha participação ainda maior na divisão do dinheiro desviado. O ex-gerente disse ainda que também houve pagamentos a Jorge Luiz Zelada, diretor da área internacional da Petrobras até 2012.

Contador Relatório da Polícia Federal que reproduz o depoimento afirma que Barusco “organizava isso [pagamento de propina] mediante uma contabilidade, sendo que parte se destinava a Renato Duque, ao declarante e, excepcionalmente, a Jorge Luiz Zelada”.

S. A. “Na divisão de propina entre o declarante e Renato Duque, em regra Duque ficava com a maior parte, isto é, 60%, e o declarante com 40%”, afirma o relatório do depoimento. “Quando havia a participação de um operador, Renato Duque ficava com 40%, o declarante com 30% e o operador com 30%”.

Desconto O ex-gerente disse aos investigadores que “quase tudo o que recebeu a título de propina está devolvendo, em torno de US$ 97 milhões, sendo que gastou para si US$ 1 milhão em viagens e tratamentos médicos”.

Águas profundas Barusco afirmou que continuou recebendo propina após deixar a Petrobras, em 2010. Diz que houve pagamentos quando já atuava para a Sete Brasil, contratada pela estatal.

Voluntário O ex-gerente também disse que as empreiteiras não eram coagidas a pagar propina. “Na realidade, o pagamento de propinas dentro da Petrobras era algo ‘endêmico’ e institucionalizado”, afirmou Barusco.

Outro lado 1 A defesa de Duque “nega qualquer acusação” e diz “desconhecer as práticas criminosas cometidas na companhia por Barusco ou outro executivo”.

Outro lado 2 “Contratos e processos licitatórios, durante sua gestão à frente da Diretoria de Serviços, eram pautados por critérios técnicos”, diz o texto. Jorge Luiz Zelada não retornou os telefonemas.

Uma ideia sobre “Delator revela propina a ex-diretor da Petrobras ‘em mais de 60 contratos’

  1. Sérgio Moro, já publicou!

    RESOLUÇÃO No 59 DE 2014
    Declara a perda do mandato do Deputado ANDRÉ VARGAS por conduta incompatível com o decoro parlamentar.
    Faço saber que a Câmara dos Deputados aprovou e eu promulgo a seguinte Resolução:
    Art. 1o Fica declarada a perda do mandato parlamentar do Deputado ANDRÉ VARGAS por conduta incompatível com o decoro parlamentar, com fundamento no § 1o do art. 55 da Constituição Federal, combinado com o inciso II do art. 240 do Regimento Interno da Câmara dos Deputados, aprovado pela Resolução no 17 de 1989, e os incisos I e II do art. 4° do Código de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados.
    Art. 2o Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.
    CÂMARA DOS DEPUTADOS, 10 de dezembro de 2014.
    HENRIQUE EDUARDO ALVES
    Presidente

    http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=611593

    http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=FF1ADD3364EEBD457E1B72EA1BD414C5.proposicoesWeb1?codteor=1292354&filename=Tramitacao-REP+25/2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>