17:18Silêncio mortal

por Luiz Fernando Vianna

Carlos Alexandre Azevedo tinha um ano e sete meses quando seus pais foram presos, em São Paulo. Chorou de fome diante de policiais da equipe do delegado Sérgio Fleury. Um deles deu um tapa em seu rosto, abrindo-lhe um corte na boca.

A família foi viver, quase clandestinamente, no Rio Grande do Norte. Cacá, como era conhecido, apanhava dos colegas de escola, que o chamavam de “terrorista”. Desenvolveu depressão e fobia social.

Sempre dizia à mãe que não conseguia se adaptar ao mundo. Resistiu até a madrugada de 16 de fevereiro de 2013, quando se matou. Tinha 40 anos.

O caso de Cacá é um dos relatados no livro “Infância Roubada “”Crianças Atingidas pela Ditadura Militar no Brasil”, produzido pela Comissão da Verdade do Estado de São Paulo “Rubens Paiva”.

O volume dá a palavra a quem teve parentes presos, torturados, assassinados, desaparecidos. Alguns tratam seus pais, ex-participantes da luta armada, como heróis. Não é preciso concordar. Basta entender que são pessoas que tiveram suas vidas tão destroçadas quanto os corpos de seus pais e lidam com isso da maneira que conseguem. Filhos de torturadores talvez idolatrem quem espancava, afogava e queimava seres humanos.

Uma das realizações da Comissão Nacional da Verdade, cujo relatório será apresentado na quarta-feira, é tirar das sombras torturados e torturadores, dando-lhes nomes e biografias. Não é revanche, é história.

Se as Forças Armadas, contra as mais óbvias evidências, insistem em negar que transformaram em rotina a tortura e o desaparecimento de compatriotas, deixam clara a vergonha que sentem do papel desempenhado.

Preferem silenciar sobre o passado em vez de ajudar a construir um futuro digno para o país. Futuro que Cacá não verá.

*Publicado na Folha de S.Paulo

Uma ideia sobre “Silêncio mortal

  1. Sergio Silvestre

    Então,a historia é contada de acordo com os vencedores,os vencidos ficam com pontinhas de historias dos contadores de causos e passa desapercebido.
    É duro ser patriota,é duro gostar de um Pais,sempre fomos dominados por aqueles que traem seu povo e jamais gostaram do Pais,de forma que o saqueiam,e o seu para seu proveito.
    Tive muitas chances de ficar rico,tive eumeros chamados para entrar na irmandade e em todas dei uma banana para os vendilhões.
    Mas o homem só é alguma coisa ou tenta ser alguma coisa quando tem historias para contar,e acho que os brasileiros estão dando as costas para aqueles que brigaram por democracia e lutaram contra o domínio escravo do povo que varou o seculo e quase passo do segundo milênio.
    Estou vendo como a hipocrisia e o sadomasoquismo de parte do povo brasileiro está aflorando com a propaganda e a disseminação do CAOS.
    Eu já estive no CAOS,eu já presenciei chacinas e governos tiranos,eu já passei bem perto da morte,eu nunca me omiti e continuo trabalhando e muito contente com os rumos que nosso Pais tomou.
    O que me da medo e a teoria do Caos,o quanto pior melhor para uma parte safada que está fora do poder e quer entrar.
    Uma população embevecida com certo tipo de candidato que nada fez e nunca foi um Patriota.Mas como sempre digo as vezes o povo mata dois Cristos de uma só vez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *