7:48Pato Manco

por Chef Pão com Vina

Na política norte-americana uma expressão comum é “lame duck”, livremente traduzida como pato manco. Refere-se a um político durante o período entre a eleição de seu sucessor e a data em que este assume o cargo. Teoricamente fica enfraquecido politicamente.

No Brasil não é diferente – e em algumas vezes o pato manco pode caracterizar todo o mandato ou se manifestar antes mesmo da eleição do sucessor. Exemplo é o presidente Fernando Collor, que ficou sozinho e foi para casa antes do tempo regulamentar com folga suficiente para passear na perua Elba.

Olhando para a atual divisão das forças que compõem o estamento politico federal, a presidente Dilma Roussef pode vir a ser chamada de pato manco de si mesma. Por mais estranho que isso possa ser, só será evitado com demonstrações de habilidades políticas que também devem demonstrar forças para atravessar todo o novo mandato. Do contrário, serão quatro anos de pato manco.

Uma situação que poderá comprometer o país com grande insegurança para a economia, que é o setor fundamental para os avanços sociais. Aqui também se pode reportar à política dos EUA para lembrar uma observação do ex-presidente Ronald Reagan: “Devemos medir o sucesso dos programas sociais pelo número de pessoas que deixam de recebê-los, não pelo número de pessoas que lhes são acionadas.”

Se o fantasma do pato manco é o sonho de consumo da oposição nacional, idêntico fantasma regional não pode ser descartado no Paraná. O governador Beto Richa também terá de exercer todas as sua habilidade políticaspara não continuar refém das liberações de recursos via Brasília, e ainda acomodar os filiados aos vários segmentos partidários que o apoiaram. Se Aécio Neves fosse o vitorioso, certamente muitas diretorias federais estariam à disposição dos aliados paranaenses.

O fundamental para governar no quadro federal e no estadual paranaense é ter no momento econômico e social a visão de estadista. Voltando mais uma vez para os americanos, o exemplo de Abraham Lincoln pode ser lembrado. Ele governou entregando pastas críticas para a oposição numa demonstração do tipo “agora resolvam”.

É interessante ver que a Dilma fez mais ou menos o mesmo, passando a área econômica para os seguidores de Fernando Henrique Cardoso. Foi um chute nos países baixos do Lula? Ou foi uma estratégia?  Se for, quem sabe Beto Richa siga o exemplo e entregue a secretaria de Saúde para o PT. Uma coisa é certa, contudo: os próximos anos revelarão políticos competentes e sepultarão os inaptos.

2 ideias sobre “Pato Manco

  1. Sergio Silvestre

    O Brasil é um Pais de coisas pictorescas na politica,e matutando ontem aqui em Londrina,uma coisa me intrigou.Temos tre deputados 3 deputados federais mais o André Vargas prestes a sair.dois viajaram no jatinho do doleiro e os outros dois viajaram no helicóptero do traficante.
    Agora está a duvida cruel,qual destes deslizes é mais contundente.Cabe aos eleitores paranaenses sempre atentos e escolhendo bem seus candidatos a se manifestarem.mas eu acho que o avião do doleiro e mais crime que o do Traficante,já que helicópteros cheios de drogas,não da nem inquéritos,então estes podeeeeeeeeeee.

  2. Professor Xavier

    O pato manco é fruto desta coisa furada e desgastada que é a tal reeleição. E já deveríamos ter aprendido esta lição, já repetimos este erro três vezes. Agora é rezar bastante, com grande fé, porque o pato pode estar manco, mas o dragão da inflação está cheiinho de fome.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>