14:31O Ministério Público e o acordo com o Governo sobre o Gaeco

O Ministério Público do Paraná informa:

MP-PR e Governo do Estado chegam a entendimento sobre Gaeco

O Ministério Público do Paraná e o Governo do Estado chegaram a um entendimento em relação ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Para evitar conflitos como os instalados, que culminaram com a crise que ameaçava a continuidade do Grupo, ficou acordado entre o governador do Estado, Beto Richa, e o procurador-geral de Justiça, Gilberto Giacoia, em reunião realizada ontem (29), que as instâncias de indicação e de designação de policiais passarão a ser, respectivamente, a Procuradoria-Geral de Justiça e o governador do Estado, e não mais Gaeco e Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp).

Também ficou acordado que o Governo recomporá os quadros do Gaeco, inclusive estudando a possibilidade de sua ampliação.

As designações não terão prazo de validade pré-fixados, sendo eventuais substituições procedidas naturalmente, quando necessárias, como já ocorria.

“Com essa decisão, o Governo demonstrou objetivamente que deseja prosseguir apoiando essa importante célula de Estado de combate ao crime organizado, porque reconhece a relevância social de seu trabalho. Assim, pode-se afirmar que o conflito institucional instalado está superado”, afirmou o procurador-geral de Justiça, Gilberto Giacoia.

O entendimento foi comunicado oficialmente à coordenação estadual e aos promotores coordenadores das regionais do Gaeco, em reunião realizada nesta quinta-feira (30), na sede do MP-PR, em Curitiba.

 

 

3 ideias sobre “O Ministério Público e o acordo com o Governo sobre o Gaeco

  1. francisco próspero

    Hoje na Gazeta o promotor André Glitz se ufana de que em 2013 o GAECO prendeu 56 policiais; pergunto se é um órgão para combater o crime organizado policial não teria que ser investigado pelas suas respectivas corregedorias? Antes de prender 1. não seria possível um diálogo? 2. a idoneidade do denunciante é investigada ou vale tudo? 3. os promotores deste órgão não teriam que fazer treinamento policial? são a meu ver inexperientes e colocam em risco suas vidas e do investigado.4 porque demoram tanto para finalizar o processo? é a teoria do sofrimento Hitleriano? . ontem policial foi metralhado após ter dado por 3 vezes voz de prisão na porta de uma casa de um traficante que respondeu metralhando o delegado e mais 3 policiais; pergunto se ao invés de ter dado voz de prisão os policiais tivessem atirado estariam hoje presos pelo GAECO por abuso? 5. no caso Tainá policiais experientes que conseguem confissão sem deixar marcas foram presos por terem cometido tortura baseados em denúncias fotográficas dos estupradores e assassinos que já haviam confessado numa boa. E agora o Gaeco está empenhado em descobrir o “verdadeiro” assassino porque o sêmen na garota não era dos “jovens” – são só eles que tem sêmen? soube que ainda os 4 estão protegidos pelo estado por 2000,00 mensais cada. 6. recentemente policial de elite “que não ouviu campainha” teve sua casa invadida pelo GAECO com chaveiro expondo a um risco desnecessário; e a denúncia qual era? simplesmente o nome do policial foi ouvido por milicianos da banda podre da policia civil em casa de jogos para idosos e que já havia sido fechada diversas vezes. 7. e o jogo do bicho corre solto – o Gaeco faz algo? ou tá no caderno? o perfil atual é de neonazismo irreal num mundo que prega paz e harmonia; interessante que os políticos tem a “cegueira voluntária” e não se pronunciam e deixam correr o barco. 8. o Beto pelo jeito quer arrumar o Gaeco mas tem que haver mais treinamento, pessoas mais experientes e sensatas com participação em conjunto com o Cid, Giacóia e até o Governador antes de prender um delegado de elite da policia civil por denuncia infundada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>