9:18A vingança baiana

Carlos Eduardo Paes Barreto, da OAS Arenas, revelou em Natal, durante o jogo que inaugurou a Arena Dunas, que o Grêmio foi mesmo procurado pela Fifa na semana passada para amarrar um plano B caso o estádio Joaquim Américo, do Atlético Paranaense, não fique pronto para os jogos da Copa do Mundo. Em outubro passado o presidente Mario Celso Petraglia publicou uma carta aberta onde chamou de “vendilhões do templo” os conselheiros do clube que queriam fazer acordo para que a OAS fizesse as obras do estádio, daí ter implodido a iniciativa.  “Para nós, seriam 20 ANOS DE EXPLORAÇÃO do estádio, beneficiando-se de todas as vantagens das isenções dos impostos, dos repasses dos títulos do potencial construtivo do governo, financiamento barato do BNDES, toda a primeira fase que estava construída, R$ 40 milhões para o Furacão pagar e pasmem: + 50% DE TODAS AS RECEITAS DO CLUBE, INCLUSIVE SÓCIOS E BILHETERIA”, disparou o cartola. Parece que agora chegou a hora da vingança da construtora baiana. 

3 ideias sobre “A vingança baiana

  1. poor devil

    Agora se vê que o Metralha não é baiano, porque como diz o povo da Terra Boa, baiano burro já nasce morto.

  2. poor devil

    Perdoem-me irmãos baianos, é Boa Terra, e não como escrevi, não que Terra Boa seja ruim.

  3. Ednei

    Poderiamos perguntar ao nFabio Koff o que ele acha da parceria do Gremio com a OAS. A oferta da OAS ao CAP NÂO era a mesma. a proposta era bastante ruim para o Atletico… este assunto ja foi amplamente discutido… i

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>