7:42Chove chuva

de Gilberto Fontoura

 

Chove chuva
O cristal se partiu
O punhal feriu
O sinal abriu.
O grito de gol
A geral explodiu
O céu se tingiu.
 
A chuva
A tormenta abundante
Veio num rompante
Num instante, a cidade submergiu
Desapareceu o ambulante, a feira, o feirante…
Tudo negro, de repente um acidente
Não mais que de repente.
 
Um clarão, o tempo rugiu lancinante
Raios, trovões
A tarde se fez mais tarde
Acabou o dia, ainda ao dia.
 
Deu black out
A água jorrou
Despencou na rua
Bateu em muros, árvores
Invadiu casas
Pássaros sem asas.
 
Choveu como nunca
Choveu triste
Fez miséria, tragédia.
 
Fez-se reza aos céus
A chuva demorou a parar.
 
Vem outra, valha-me Deus.
Proteja os meus, os seus.
Amém.

Uma ideia sobre “Chove chuva

  1. sergio silvestre

    chove chuva
    o cristal se partiu
    o punhal feriu
    o sinal abriu
    o grito de gol
    a geral explodiu
    o ceu se tingiu
    puta que pariu
    tão fodendo o BRASIL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>