10:24Deus e o Diabo na Terra do Sol

por Sandro Vaia*

 

 

Sempre que houver uma dificuldade aparecendo no horizonte, faça como a presidente Dilma: chame o ministro Gilberto Carvalho. Ele não vai resolver o problema, claro, mas com certeza vai complicar aquilo que parece simples.

 

Gilberto Carvalho é um homem de fé, e a primeira crença dele é em Gilberto Carvalho. Desde os tempos de Celso Daniel, ele, como Batman, gosta de sobrevoar trevas.

 

Mas ele não está sozinho no embate. Ao lado dele, a solerte ministra da Igualdade Racial, Luiza Barros, que vê nos rolezinhos do shopping uma manifestação contra a discriminação racial.

 

Lucas Lima, o garoto de 17 anos que foi entrevistado pela Folha nesta semana, e que organizou o rolezinho de Itaquera no sábado anterior, contou que tudo começou com encontro de garotos e garotas marcados via redes sociais e que ele estava satisfeito porque conseguiu “beijar 16 ou 17 garotas”.

 

Com uma lata de gasolina na mão, Gilberto Carvalho acusou a polícia de jogar gasolina na fogueira no mesmo instante em que o secretário da Segurança de São Paulo dizia que a polícia não tem nada com isso, mesmo porque os shoppings são espaços privados de utilização pública e a segurança interna é de responsabilidade de seus administradores.

 

Mas é difícil viver sem uma bandeira a desfraldar . Como dormir sem uma causa para acalentar o sono? Como acordar sem achar que há alguma engenharia social a fazer para tornar o mundo melhor?

 

Enquanto o rolezinho não rolar como uma bola de neve e não houver um policial desatinado pronto a criar uma vítima, o agito não cessa. Enquanto a farra adolescente não virar um movimento social e não fornecer toneladas de teses à intelligentsia ociosa das universidades ou dos jornais ou dos partidos brasileiros, alguém não vai sossegar.

 

Nas redes sociais, que se tornaram o mais divertido rolezinho de sandices que a avalanche de modernidade tecnológica foi capaz de criar, houve quem escrevesse – a sério – que as correrias desgovernadas dos jovens que querem beijar as meninas eram um protesto contra os shoppings, que representam “a utopia neoliberal”.

 

Atreva-se a sorrir e pedir “menos”, e prepare-se para ser linchado como sujeito de rara insensibilidade social.

 

Enquanto isso, no confortável presídio de Pedrinhas, do Maranhão, em consequência – segundo a governadora do Estado – de explosivo enriquecimento do Estado, as cabeças são literalmente cortadas, sem que haja sequer um Gláuber Rocha vivo para registrar para a posteridade esse embate entre Deus e o Diabo na Terra do Sol.

 

O ministro da Justiça levou para lá o seu ar mais grave, aquele dos grandes momentos, para posar ao lado da governadora nas fotos, mas preferiu guardar o recato em seus pronunciamentos, e assim poupou-se do vexame de Luiza Barros e de Gilberto Carvalho.

 

E olha que o rolezinho de Pedrinhas é coisa de gente grande.

 

*Sandro Vaia é jornalista. Foi repórter, redator e editor do Jornal da Tarde, diretor de Redação da revista Afinal, diretor de Informação da Agência Estado e diretor de Redação de “O Estado de S.Paulo”. É autor do livro “A Ilha Roubada”, (editora Barcarolla) sobre a blogueira cubana Yoani Sanchez e “Armênio Guedes, Sereno Guerreito da Liberdade”(editora Barcarolla). E.mail: svaia@uol.com.br

 

Uma ideia sobre “Deus e o Diabo na Terra do Sol

  1. Sergio Silvestre

    Então,Gilberto Cavalho esta ao lado de presidentes desde 2002,Londrinense e de boa familia.
    Lidar com noticias etragedias que acontece num Pais onde se forma 10 advogados para cada médico,onde tem uma justiça comprometida com o seu bem estar,onde temos ditadura de informação,absolutismo arrecadatório e um povo engatinhando ainda para ser civilizado.
    Fazer o que com alguem acostumado com jeitinho,com encosto em politicos e com a moleza e o imediatismo.
    O que fazer com um povo que senta na frente de quase uma unica rede que dissemina bigamia,viadagem,traições e todo um menu de intrigas e modismos.
    Criticam os ministros e secretários ,mas não olham para a ponta do seu nariz.
    É complexo lidar com um povo folgado e com uma elite que gosta de duplicar a cada ano suas fortunas.
    Sempre achei que os militares fizeram uma faxina pela metade,precisaria sim aqui um Salazar ou Pinochet para ter feito o serviço completo.
    Observem depois da nova republica que completou 28 anos como o Pais desencadeou para a corrupção e os maus costumes.
    E observem que hoje somos muares correndo atráz de ração enquanto os 1% desfrutam deste rico Pais,um verdadeiro Eldorado.
    Enquanto tiver esta mentalidade burra,ficaremos aqui rindo do manah que cai bem raleado do ceu,e seremos guiados pela rede Globo,a seu bel praser.
    Pão e circo e se disserem que o Gilberto é o diabo,acreditaremos,pois sempre elegemos picaretas em detrimentos aos candidatos sérios.
    Vamos agora olhar o blog oficial,onde aquele que paga inaugurou mais trocentas obras,vamos acreditar né.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>