8:36PCC é uma coisa; agente penitenciário é outra

A rebelião no Presídio Central de Piraquara terminou. Um acordo feito com a Secretaria da Justiça resultou na transferência de alguns presos para Londrina, Maringá e Foz do Iguaçu e na libertação do agente penitenciário feito refém na tarde de ontem. O alarde sobre a participação do Primeiro Comando da Capital (PCC) no episódio e sobre o aumento das atividades deste grupo de bandidos no Estado parece novidade – mas não é. Em outubro do ano passado o jornal O Estado de São Paulo noticiou, com repercussão aqui, que o Paraná é o estado com mais integrantes da facção fora de São Paulo. Essa informação tinha sido publicada um ano antes por este blog com base em informação do setor de inteligência da Secretaria de Segurança. Ali se afirmava que o PCC atuava dentro e fora das prisões. Nas prisões, contudo, estavam monitorados. Em março de 2013, depois de rastrear conversas entre integrantes do grupo e alguns meses após a onda de violência ocorrida em São Paulo e Santa Catarina, 38 presos foram transferidos para os presídios de Mossoró (RN) e Porto Velho (RO). A questão dos agentes de segurança pertence a um outro departamento, mas parece que tem muita gente querendo juntar o lé com o cré.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>