7:49Beleza e problema

por JamurJr.

 

Quem conhece, sabe que Guaratuba é uma das mais belas cidades  do litoral brasileiro. Com sua baía nas franjas da Serra do mar, de onde descem mais de 10 rios de água limpa e cristalina , dezenas de  de pequenas ilhas, mar calmo e muito peixe, tudo é um convite ao lazer e prazer. De simples  e pequena cidade, onde faltava quase tudo, Guaratuba se transformou. Hoje tem uase tudo que se possa desejar para viver com boa qualidade e muita alegria. Suas três praias, muito próximas uma  das outras, estão entre as mais limpas de cidades praianas em todo o pais. Bons restaurantes, poucos mas, confortáveis hotéis, gente simples e simpática, a cidade é uma  península de tranquilidade e alegria há pouco mais de 120 quilômetros de Curitiba. Nos últimos dez anos, Guaratuba experimentou um crescimento muito rápido. A cidade que só vivia do agito da temporada de verão, recebe a cada final de semana milhares de visitantes, especialmente na região metropolitana de Curitiba. Por isso, um grande problema está a desafiar a criatividade e vontade política dos governantes, para que a cidade não fique apenas encalhada no que já conquistou: o acesso por rodovias. A BR­276 , conhecida como “corredor da morte”, recebe todo trafego da região sul do pais e Mercosul em duas pistas que estão superadas há muito tempo. O resultado é uma frequência muito grande de acidentes que param o tráfego por muitas horas. Os turistas, cada vez mais, evitam trafegar por essa rodovia, que muitas pessoas prende o viajante por cinco seis horas até que seja possível desobstruir pistas invadidas por cargas ou caminhões acidentados. Já se ouve de curitibanos que foram morar em Balneário Camboriú, manifestações de preocupação com a rodovia e desejo de adquirir imóvel em Guaratuba. A Rodovia Garuva­/Guaratuba, de pista única, antes uma estradinha simpática com pouco movimento, esta recebendo trafego pesado de caminhões que se dirigem aos portos de Paranaguá e Itapoá. Pela BR­277, a melhor opção, o turista esbarra na morosidade e desconforto das balsas que fazem a travessia da baía de Guaratuba. A opção que está sendo divulgada pelo governo do Estado e que atende as necessidades atuais é a construção de uma ponte que segundo ao que parece, terá a licitação aberta brevemente. Como o  brevemente, em se tratando de governo, não tem prazo, especialmente em ano pré­-eleitoral, pode­ e suspeitar que tal obra fique apenas na promessa. Tomara que não seja isso.

3 ideias sobre “Beleza e problema

  1. SEXAGENÁRIO

    Está certo que Guaratuba se transformou muito rapidamente um balneário veranista para uma cidade litorânea muito movimentada durante todo o ano, mas o que mais tira o sossego dos que lá estão é o grande trafego de veículos, principalmente dos enormes e barulhentos caminhões que passam diuturnamente no centro da cidade e seguem até as balsas com destino ao porto de Paranaguá.
    Acho que este problema poderá ser resolvido em parte por transporte de cabotagem entre portos ou, a melhor solução, com abertura de trecho ligando BR 376/277 ( Cubatão/Alexandra ).
    Acredito que a construção de uma ponte aumentará o fluxo de veículos e fará de Guaratuba um local de passagem à Santa Catarina………. e a cidade não ganhará nada com isso !
    Entendo que no momento a ação mais econômica para agilizar a travessia é construir mais um ou dois atracadores de Ferryboat e adquirir novas embarcações.
    Toda esta situação é muito confortável para a F.Andreis & Cia Ltda que tem em suas mãos uma galinha dos Ovos de Ouro, utiliza balsas sucateadas e sem segurança para o transporte “especialmente dos grandes caminhões ” juntamente com os sucateados ferrys boat do Estado do Paraná.

  2. leandro

    Não há o que discordar do comentário feito com relação a bela Guaratuba e seus encantos que a natureza lá colocou. Todavia, houve uma promessa do Governador Beto Richa ainda em campanha de construir a ponte que liga Guaratuba Guaratuba, pois ambos os atracadouros já pertencem ao Município de Guaratuba. Bem o interessante nessa história e a reclamação hoje persistente quanto a demora da travessia nas balsas e do preço do pedágio na 277. Oras bolas, o pedágio na 376 ou Br 101 é mais barato, então o pessoal que é de Guaratuba porque não utilizar esse trajeto. Não o fazem porque a estrada é pior, mesmo pedagiada não tem as condições da 277, não o fazem porque o movimento é mais intenso, não o fazem porque o trecho Garuva Guaratuba é um desastre e tem o famoso sinaleiro em Garuva, que não é coisa do Beto Richa, pois pertence ao Estado de Santa Catarina. Então os veranistas, tanto de Guaratuba como vários de Santa Catarina percorrem pela 277 e reclamam do pedágio, a solução seria eles utilizarem a outra estrada, onde o pedágio é mais barato, não sei porque não fazem isso, será que é pelas condições apontada acima?

  3. marcelo_X

    O que acontece na 376 não são “acidentes”. São fatos previstos. Não tem controle efetivo de velocidade na serra. simples assim. Parem de chamar de “acidentes” fatos que são facilmente evitaveis…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>