6:39Invictus

de William Ernest Henley

 

Do avesso desta noite que me encobre,

Preta como a cova, do começo ao fim,

Eu agradeço a quaisquer deuses que existam,

Pela minha alma inconquistável.

 

Na garra cruel desta circunstância,

Não estremeci, nem gritei em voz alta.

Sob a pancada do acaso,

Minha cabeça está ensanguentada, mas não curvada.

 

 

Além deste lugar de ira e lágrimas

Avulta apenas o horror das sombras.

E apesar da ameaça dos anos,

Encontra-me, e me encontrará destemido.

 

Não importa quão estreito o portal,

Quão carregada de punições a lista,

Sou o mestre do meu destino:

Sou o capitão da minha alma.

 

 

*Tradução livre do poema que foi fonte de inspiração de Nelson Mandela durante seu tempo de prisão

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>