16:59Contrabando literário

Do enviado especial:

O deputado estadual Waldyr Pugliesi (PMDB) falou há pouco, na tribuna da Assembleia Legislativa, sobre seu ex-chefe de gabinete, Elieuton Mayer, preso pela Polícia Federal por chefiar uma gangue de contrabandistas. Repetiu o que disse nas entrevistas sobre sua surpresa com as atividades extra-parlamentares do ex-auxiliar. Revelou que estava lendo Tolstói quando foi notificado do infausto acontecimento. Aproveitou para citar Ortega y Gasset, Fernando Pessoa, Pirandelo, Unamuno e Guimarães Rosa. Se a afirmação que não sabia de nada soou semelhante àquela de Lula sobre os mensaleiros, não há duvidas que Pugliesi leu muito mais que o ex-presidente. Também conseguiu ser muito mais convincente. Pelo menos entre seus colegas parlamentares. Foi aparteado por uma frente pluri-partidária de solidariedade e deixou a tribuna aplaudido.

Uma ideia sobre “Contrabando literário

  1. Nhé..Nhé...Nhém

    Se vc assistiu o Poderoso Chefão I e II em nenhum momento ele é criticado ou vaiado, são só elogios, por parte do seu “staff”, por que será hem!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>