15:39Fim da miséria ou miséria do fim?

Do leitor Mario Patricio:

A partir desse mês não existirá mais miséria no Brasil. Quem garante é um anúncio de página inteira do governo federal nos principais jornais do país. Segundo o anúncio, “mais 2,5 milhões de brasileiros vão deixar a extrema pobreza”, e completa triunfante: “eles são os últimos dos brasileiros extremamente pobres”. E vai além: “É um grande fato histórico que, que superou prazos e metas”.

O milagre é o seguinte, segundo os parâmetros oficiais: um cidadão que tem renda mensal de até R$ 70 é oficialmente um miserável. Quem atinge esse limite deixou de ser. O prodígio anunciado por Dilma Rousseff foi atingido simplesmente aumentando os recursos do programa Brasil sem Miséria em R$ 800 milhões. O aumento per capita é de miseráveis R$ 5.

Em artigo intitulado “Fim da Miséria”, na revista Veja da semana, J.R. Guzzo comenta mais essa façanha do governo do PT. “Daqui a alguns dias, não haverá mais miseráveis nas estatísticas do Brasil; só haverá miseráveis na vida real. Além disso, seremos provavelmente o único país do mundo em que a miséria teve uma data certa para desaparecer. O governo poderá dizer: “O Brasil acabou com a miséria no dia 15 de março de 2013, às 18 horas, ao fim do expediente na administração federal”.”

E prossegue; “Praticamente nenhum cidadão brasileiro, ao sair todo dia de casa, leva mais do que 15 minutos para dar de cara com alguma prova física de miséria. Mas, do mês de março em diante, terá de achar que não viu nada. Se procurar alguma autoridade para relatar o fato, ouvirá o seguinte: “O senhor deve estar enganado. Não há mais nenhum miserável no Brasil”. É assim, no fim das contas, que funciona o sistema cerebral do governo. A realidade não é o que se vê. É o que está no cadastro.”

Uma ideia sobre “Fim da miséria ou miséria do fim?

  1. Barata

    Acabar com a miséria por decreto é fácil, é só decretar.

    Será que alguém acredita no governo?

    Eu só acredito quando a noticia é: Fulano de tal desviou milhões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>