11:33André Vargas

A PEDIDO (Do jeito que veio)

———————————————————-

O projeto, a luta e o resultado

Nascido no norte do Paraná, mais especificamente em Assaí. Menino pobre, filho de torneiro mecânico, muito jovem começou a trabalhar na área social, prestando serviço – quase 12 horas por dia – em albergues em Londrina. Em 1988 entrou para o Partido dos Trabalhadores, demonstrando habilidades que, doze anos depois, o levou a ser eleito vereador na “Capital do Café”. Em 2002, foi eleito Deputado Estadual.
Cumpriu seu mandato para, em 2006, ganhar uma vaga na Câmara Federal, onde, em 2010, foi reeleito.
Esse é André Vargas, uma pessoa de hábitos simples que vive para dois únicos fins: sua família e o trabalho político. Torcedor do Londrina, o Tubarão, e do São Paulo, também diz que joga futebol, mas poucos acreditam. Pescar, que aprendeu com o pai, faz medianamente. Evangélico praticante, sempre quando pode frequenta com a família os cultos religiosos. Pelo que se percebe hoje, depois de bom pai, sua melhor qualidade é ser um bom articulador.
“O André pensa que é bom contador de piadas. A verdade é que depois que virou deputado, ficou mais fácil para os interlocutores rirem de seu hábito de brincar ou fazer piadas”, afirma um amigo. Diz isso porque tal hábito o leva a cometer algumas gafes, mas nada sérias, pois suas brincadeiras são por princípio sempre construtivas.
No lado sério, ele cismou que queria ser 1º vice-presidente da Câmara dos Deputados – isso com  apenas 6 anos de Brasília. Isso foi há apenas oito meses. O menino de Assaí relou isso para poucos e saiu à luta – porque gosta de trabalhar. Primeiro conversou com os companheiros de partido. Os resultados conquistados na Secretaria de Comunicação do PT facilitaram os primeiros passos nesta difícil costura da disputa onde há apenas uma cadeira para centenas de pretendentes.
No PT, ouviu de companheiros que ele deveria se viabilizar e só aí o partido lhe daria guarida para o importante passo que pretendia dar.
Conhecedor dos corredores do Congresso como poucos, logo entendeu que precisaria do apoio do PMDB para realizar seu intento.
Pelo respeito que conquistou de Rui Falcão, presidente nacional do PT, imediatamente conseguiu o apoio dele. Este o levou levou para algumas conversas com os caciques do PMDB, partido que, por ser majoritário pleiteava para si o cargo da presidência daquela Casa de leis.
Quem conhece política sabe que para alguém ter chances de alçar vôos maiores precisa antes de mais nada ter o apoio de seus colegas do Estado de origem. Apesar da natural disputa local, a bancada do Paraná também aderiu ao projeto do petista de Londrina.
Mesmo em campanha, André, como secretário de comunicação do PT, recebeu a difícil missão de sair em defesa de Zé Dirceu, no auge do incêndiário julgamento do mensalão. Mesmo exposto pela mídia nacional, fez marcantes e fortes pronunciamentos em defesa do Zé e dos companheiros do PT que estavam e continuam sendo execrados por todo país. Apesar da incomoda missão, mostrou que é homem de grupo, mesmo na hora da dificuldade.
Também em pleno certame eleitoral na Câmara de Deputados e lutando para obter os votos necessários para eleger-se, levantou a indigesta bandeira da criação mecanismos de regulação da imprensa. Por essa razão, “apanhou” de todos os veículos de comunicação. Eleito, ele terá que levar em frente este anúncio que é uma questão colocada por seu partido como necessária e até prioritária. Difícil tarefa que ele terá que enfrentar.
A tradicional timidez paranaense não o  impediu de ousar e, em outubro, recebeu o sim do PMDB. Já com o apoio dos dois maiores partidos da Casa, André seguiu mais forte para conversar com todos os parlamentares. Apesar de algumas piadas, sua conversa, sua história de vida, sua simplicidade, mas acima de tudo sua credibilidade perante os pares facilitaram seu caminho.
Foi assim que André Vargas conquistou ontem em Brasília a posição de 1º vice-presidente do Congresso Nacional. Nunca um político paranaense chegou tão longe no parlamento brasileiro.
O vice-presidente da Câmara, além de ser o substituto imediato do presidente, tem importantes funções como receber e prestar informações requisitadas por outros poderes. A mais importante delas é a de substituir o Presidente do Congresso Nacional – no caso o presidente do Senado – em caso de sua ausência.
O trabalho e a conquista deste paranaense de Assaí criado em Londrina deve ser comemorada e acima de tudo enaltecida, especialmente porque o Paraná que se orgulha ou reconhece a timidez como qualidade,  dificilmente conquista espaços na república.
Exercer poder é ocupar espaços. André Vargas, com a esmagadora votação de 420 votos, realizou seu projeto, ocupará mais espaço e, assim, poderá defender mais o Paraná. Se até suas piadas ficarão ainda mais “engraçadas”, imagine seus posicionamentos, seus pedidos, suas defesas dos interesses do Estado?

22 ideias sobre “André Vargas

  1. Só faltava essa...

    Não sei quem é o autor do texto, mas algumas coisas são interessantes. Vejamos:
    “No PT, ouviu de companheiros que ele deveria se viabilizar e só aí o partido lhe daria guarida”. Ou seja, te vira, se você conseguir, nós vamos de carona.
    “Conhecedor dos corredores do Congresso como poucos, logo entendeu que precisaria do apoio do PMDB”. Ou seja, tenho que dizer amém a eles.
    “…recebeu a difícil missão de sair em defesa de Zé Dirceu… Apesar da incomoda missão…”. Ué, dífícil missão?!?!? Incômoda missão?!?!? Ou seja, não posso cuspir no prato em que comi.
    “…indigesta bandeira da criação mecanismos de regulação da imprensa.” Porque indigesta???? Ele não gosta dela?? Se não gosta, porque a defende???
    É, um piadista mesmo!

  2. Dá-lhe

    Mentem -
    Foi assim que André Vargas conquistou ontem em Brasília a posição de 1º vice-presidente do Congresso Nacional. Nunca um político paranaense chegou tão longe no parlamento brasileiro.

    Pois Walber Guimarães, deputado de Maringá do MDB, na OPOSIÇÃO à ARENA foi Primeiro Vice Presidente da Câmara dos Deputados.

    Osmar Serraglio, deputado de Umuarama do PMDB, foi 1. Secretário da Câmara dos Deputados, ainda no mandato passado.

    Menos, puxas-sacos, menos…
    O garoto de Assaí, que foi do Asilo da Vila Nova na Rua Araguaia em Londrinaa, não precisa disso.
    Ele desmerece o apoio de Luiz Eduardo Cheida, quando do PT, que lhe deu o primeiro emprego público na vida, ainda em 1993, na Prefeitura de Londrina, na COHAB – LD.
    Por aí vai…
    Amizade de José Janene, amizade de Nedson Micheletti, amizade de Paulo Bernardo, amizade de Gleisi Hoffman, amizade de Glaudio Lima, amizade de Jacks Dias, amizade do irmão que não elegeu vereador – Ramatis Vargas – na ultima eleição em Londrina, ou amizade do irmão que era Secretário do Ivan em São José dos Pinhais, não conta?
    Não façam isso.

  3. jeronimo

    faltou aí uma menção aos valorosos seguranças da universidade de maringá que doaram seus suados tostões para garantir a eleição desse humilde paranaense aos pináculos…

  4. luis otávio

    Zé Beto,
    Entrei para comemorar a conquista da alta posição deste paranaense e de cara encontro um comentarias(só faltava essa) que tem toda cara do Paraná e do porque nosso estado não conquista espaços maiores no cenário nacional.
    Não é sem motivos que o Paraná não possui políticos importantes, nossos clubes de futebol são coadjuvantes e que a maior celebridade paranaense a nível nacional é o curioso Ratinho, uma espécie de Tiririca que fez fortuna.
    O paranaense mata qualquer paranaense que arrisca se destacar.
    Os argumentos do comentarista não tem qualquer noção e fácilmente demolidos. São perguntas típicas de inveja, de despeito, bem típico daqueles que devem mamar nas tetas do estado. Representa um comentarista que não é nem Tucano, nem Dem e muito menos Petista. É apenas um despeitado invejoso.
    Qualquer um responde suas perguntas que beiram a idiotisse, isso pra não ser cortado ou censurado aqui.
    Se o cara é articulador e conhecedor, mas acima de tudo precisa de votos, este cara precisa compor, compatibilizar interesses. Poderia ele romper com os companheiros e lançar-se candidato. Teria votos de quem?
    Enfrentar a opinião publicada de que o mensalão existia, Nào lhe parece incômoda, mesmo pra quem acredita no que defende? Enfrentar a opinião de mal informados que engolem qualquer manchete como se fosse verdade, sem aprofundar-se nas matérias? Mesmo se fosse verdade, defender um amigo que está sendo massacrado é missão cômoda?
    Igualmente lhe parece, comentarias estúpido, digesto o encargo de enfrentar a mídia, jornalistas e o oligopólio da Rede Globo para tentar diciplinar o comportamento dos mesmos. Todos, inclusive os políticos, são iguais perante a lei. Porque os jornalistas são MAIS IGUAIS que os outros brasileiros? Porque esse privilégio. Alguém se lembra de algum jornalista que tenha sido preso por ter difamado alguém. Aqueles jornalistas que acabaram com a vida dos donos de uma escola de São Paulo que foram quase linchados, aconteceu algo com eles? Será que todo jornalista é sério? Jornalista anjo, alguém conhece? Ora, enfrentar essa classe não é fácil mesmo. Indigesto não significa não gostar? Costela é bom, mas indigesto, certo? Seja mais inteligente, mais construtivo, assim quem sabe você vai ser mais feliz. Seja mais feliz, porque felicidade a gente conquista, inteligência não. A estrela do PT veio pra ficar, queira a Globo ou não.

  5. Rodrigo

    Um Estado importante como o Paraná nao pode ficar no ostracismo. Precisa ser visto e projetado nacionalmente para ajudar no crescimento do país.

  6. Dudu

    Discussão encerrada, o Deputado André Vargas é o vice-presidente do Congresso Nacional. Deixem o hoem trabalhar. Se é bom pro Paran’s o estado deve aproveitar.

  7. Mariana F.

    Não entendo as pessoas que só sabem criticar essa importante conquista e nao olham adiante para compreender o contexto político e construi a nação. A crítica destrutiva não leva a nada.

    André Vargars está ganhando espaço e projeção nacional por conta do excelente trabalho que vem desempenhando em Brasília ao representar os interesses tanto do seu eleitor quanto daquele que não é partidário de suas propostas. E é essa a verdadeira função de um parlamentar, defender aos bons interesses de todos, independente de onde e quem sejam.

  8. Só faltava essa...

    Tem sete comentários aqui e o único inteligente é o tal luis otávio?!?!? Coitado. E quanta honra é ser vice de um henriquinho hein… Teve um tempo em que bom negócio era comprar argentino pelo que ele valia e revender pelo que ele achava que valia; hoje, bom negócio é comprar deputado pelo que ele vale e revender pelo quanto ele pensa que vale (isso, em termos de valores morais e éticos mesmo, porque em termos de valores financeiros, poucos podem pagar o preço). Se é para “conquistar espaços maiores” a esse custo, prefiro continuar como província mesmo. Quanto ao resto, perdôo-lhe os erros gramaticais, mas não os intelectuais.

  9. Cicilia

    Como o Brasil é curioso. Primeiro se pedia democracia, abertura, deputados, liberdade. Agora se pede que acabe com o Congresso, com os Deputados, com os políticos. Nem todo político é senvergonha, assim como, nem todo repórter é sério. Mesmo nos que escrevem acima, quem defende o deputado é porque tem algum interesse. Quem critica é porque não teve um interesse atendido. Isso é o Brasil.
    No caso em questão, o André Vargas é um bom político e não existe nada que o desabone. Deixem ele trabalhar e se fizer algo errado que ele seja controlado. Parabéns Deputado.

  10. Popó

    Só 1 minutinho: a democracia emana do povo, esse princípio básico foi cumprido com honras: 420 votos é mais que 80% dos votos. Isso representa muitio paraná. Comemorem caquete. Valeu André Vargas.

  11. Pier Petruzziello (vereador PTB)

    Sempre que um paranaense estiver bem posicionado e bem representando o nosso estado, estarei do seu lado. Assim como todos os demais políticos do Estado deveriam fazer. Chega de autofagia.

  12. Carlos

    Parabéns, até que enfim o Paraná tem alguém decente em um alto cargo na Câmara. Parabéns Andre, o Paraná conta com sua competência.

  13. Jeremias, o bom

    Cada paranaense imbecil que comenta contra o mais importante cargo que este estado já alcançou na administração federal só confirma a razão pela qual o Paraná é inexpressivo.

    Êta província!

    Êta roça!

    Parabéns André Vargas. Aqui é assim, quem se destaca leva cacete.

    Você tem votos. Eles tem raiva!

  14. Só faltava essa...

    Então tá. Ficamos assim. Daqui a dois anos nos rencontramos aqui, nesse mesmo fórum e vamos ver quais foram os grandes benefícios que isso trouxe para o Paraná, OK??. ZB, anote aí na sua agenda. Abç.

  15. AUGUSTO MEIRA

    O povinho esquisito esse do Paraná. O indivíduo cresce logo vem alguém pra cortar as pernas dele. Outros deveriam seguir o roteiro do André. Que bom que ele está lá e desejo a ele que faça o mehlor.
    Uma fraterno abraço,
    Augusto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>