16:06Bares fechados e estranhamento

Do Goela de Ouro

No Centro Cívico está causando muita estranheza a posição do presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas do Paraná diante da ação da Aifu que ontem à noite fechou os bares Aos Democratas e Bar Curytiba. O primeiro, por solicitação do Corpo de Bombeiros, para que faça adequações necessárias. O segundo, pela Vigilância Sanitária, por causa das péssimas condições da cozinha. Fábio Aguayo, presidente  da Abrabar,  disse que não concordou com o fato de as ações serem feitas com as casas em atividade. Quem participou delas acha que lei é para ser cumprida e isso só se comprova mais facilmente quando as casas estão em funcionamento.

13 ideias sobre “Bares fechados e estranhamento

  1. Angela

    Se o bar está irregular com alvará, licenças, etc, ele vai estar irregular mesmo sem ser às 11 da noite e lotado, não é mesmo?
    Inclusive, com o bar vazio, a fiscalização poderia até ser melhor feita.
    O intuito da fiscalização é prevenir, e não constranger.
    E o circo promovido pela AIFU é, sim, para constranger. E se comprova com o argumento de que “só se comprova mais facilmente quando as casas estão em funcionamento.”
    Documentação irregular é irregular com a casa aberta ou fechada.

  2. Dá-lhe

    Circula na rede o desabafo de um militar que atuou na AIFU até o ‘representante’ dos bares reclamar e atirar eleitoralmente no prefeito que se foi:

    Desde o momento que tive a informação da tragédia acontecida no estado do Rio Grande do Sul, passei a refletir ainda mais sobre a importância da AIFU e as perseguições que sofremos nos últimos anos, apesar de não fazer mais parte dessa equipe, por problemas que infelizmente o regulamento militar me impede de dizer.
    É muito difícil ter que usar essa triste tragédia para ratificar tudo aquilo que eu e os antigos comandantes da AIFU defendemos ao longo da existência dessa equipe integrada, mas é necessário.
    Muitas vezes a equipe paralisou as atividades comerciais de grandes casas noturnas por diversas irregularidades e na mesma noite éramos crucificados pelos proprietários, clientes, diga-se de passagem, instigados pelos empresários, mídia e certa associação de bares e casas noturnas. Ouvimos em muitos momentos que a polícia deveria prender bandido e não fechar as “baladas”, por falta de um simples papel, como se tivéssemos prazer em estar lá.
    Apesar de sabermos que a postura dos agentes fiscalizadores era tão somente para prevenir algo semelhante o que aconteceu hoje no sul do país e que o papel é muito importante sim, já que não é um simples papel, mas é a comprovação e a garantia de que o local estava preparado para receber seus clientes.
    Atualmente muitas casas noturnas funcionam por força de liminar, já que várias vezes descumpriram as ordens emanadas do munícipio, colocando a frente, como mais importante, o lucro e não a vida. Algumas que abriram recentemente, outras que já tiveram alvarás, mas modificaram a estrutura física impossibilitando a liberação do Corpo de Bombeiros, então alvará vencido não é sinônimo de comércio adequado, até porque o Código de Posturas é claro: Não tem alvará, não pode funcionar, independente se é renovação ou não.
    Pasmem, lendo as redes sociais, especificamente na pagina de uma pessoa que mais perseguiu a AIFU, presidente de uma das associações, defendendo que as casas noturnas precisam ser fiscalizadas, com solicitação ao governador do estado. Um oportunista que quer estar na mídia a qualquer preço, mas defendendo que a AIFU seja extinta e que seja criado um órgão com nova mente.
    Eu ainda não compreendi, por mais que eu tente. O que é estar legalizado para esse presidente de associação de bares. Ele quer que o local seja fiscalizado, mas se irregular não seja fechado? Porque é isso que a AIFU faz, paralisa as atividades de comércios que não estão legalizados, cumprindo o que rege o Código de Posturas de Curitiba.
    Ora, a cada operação realizada nas áreas nobres de Curitiba, com o fechamento dessas casas, lá estava esse cidadão tentando denegrir a imagem dos componentes da AIFU, chamando-nos de arbitrários, agressivos, ação espetaculosa e outros conceitos que ele utilizava para chamar a atenção da mídia. Quero aqui reforçar, casas noturnas na área nobre de Curitiba, que inclusive trabalham sem o certificado de vistoria e demais autorizações municipais.
    Uma equipe que trabalhou por anos sem deixar se levar por acordos políticos, corrupção passiva, pressão de empresários, ameaças públicas, pois o nosso dever foi sempre defender a coletividade, independente da classe social do fiscalizado.
    Hoje, infelizmente todos os meios de comunicação, todas as pessoas que tem acesso á informação estão discutindo e relembrando inclusive o caso do Jockey aqui em Curitiba, os mesmos que ontem criticavam a fiscalização. Pessoas que fazem parte da equipe do novo governo municipal e alguns políticos que usufruíram várias vezes da rede social para criticar a AIFU, mesmo não estando no momento da fiscalização, defendendo que o local deveria ficar aberto até a regularização, menosprezando as tragédias que porventura poderiam acontecer, já que o local não estava legalizado, consequentemente sem as vistorias e autorização dos órgãos responsáveis.
    É preciso que todos os poderes públicos, deixem de lado os interesses políticos, as amizades comerciais, a demagogia, o capricho pessoal e invistam na preservação da vida, fiscalizem, paralise, orientem, advirtam todos aqueles que se colocam acima da lei, que cometem o tráfico de influência, que utilizam todas as formas de ingerência política, que se utilizam dos poderes econômicos para burlarem a LEI.
    Infelizmente como policial militar eu só posso compartilhar com os meus contatos sociais, mas gostaria de “gritar” a todos os curitibanos que não podemos nos curvar para a ilegalidade, para a imoralidade e para a politicagem que assola a nossa sociedade e temos sim, que defender aquela que existe ou existiu, para garantir a necessidade da maioria, a integridade física e a tranquilidade publica, que é a AIFU.
    Nós não precisamos chorar essas lágrimas… Nós não devemos nos permitir…

  3. engenheiro curitibano

    Como se comprova se a lotação da casa está de acordo commo máximo permitido? Com a casa fechada é que não dá!

  4. Romeu Caxambu

    esse tal de Fabio quer aparecer, é um garotão que criou esse sindicato como meio de sobrivivencia, é um despreparado e o sindicato que representa a classe é outro, fica na rua Julia da Costa, SHBR.

  5. Rubens Adriano

    Melhor deixar uns poucos * da cara por essa razão do que ver dezenas de famílias destroçadas com a perda de jovens. É fácil ser dirigente de entidade desse jeito.

  6. Carlos Amorim

    Genial essa idéia de fazer inspeção com as casas fechadas. Podemos fazer testes de emissão de poluentes em fábricas com as máquinas paradas, em carros com os motores desligados e, eureca!, podemos fazer eletroencefalograma em gente sem cérebro, como esse cidadão aí.

  7. João

    É um desplante sem tamanho, querer defender estabelecimentos que estejam em desacordo com a legislação.
    Até que ponto chega a ganância do ser humano, pouco se importando com a vida do próximo.
    A fiscalização tem sido, isso sim, inoperante. Esperamos que o clamor causado por Santa Maria não passe tão cedo.

  8. Jeremias, o bom

    O fechamento do Bar Curityba devido a falta de higiene na cozinha deu na coluna do Bessa?
    Tudo que ocorre lá ou com seu proprietário é divulgado automaticamente na tal coluna.
    A conferir.

  9. O tal ” presidente” da tal associação de bares, não é dono nm de bar, nem de restaurante, nem é empresário de nada. É um laranja de um deputado , este sim dono de várias boates.
    A Aifu faz um trabalho sério e foi injustamente criticada muitas vezes.
    Além de fiscalizar alvará, condições de higiene, equipamentos contra incêndios etc, é preciso também coibir os excessos dos “seguranças”. Para os ” empresários” da noite curitibana o mais importante também é a comanda; Ou já esqueceram o que aconteceu com aquele menino, q perdeu a perna devido a agressão de um brutamontes no bar James. Tem muito bar em Curitiba que é uma arapuca, em todos os sentidos.

  10. Didi Mocó

    A lei é para os idiotas, os riquinhos e reis da noite esses não querem nem saber de leis. Não esqueças das zonas e prostíbulos comandados por um família influente da cidade de Curitiba. Foram fazer inspeção lá??? Só o HUlk para saber disso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>