12:17A explicação da AGEPAR

Antonio José Correia Ribas, Diretor-Presidente da AGEPAR, enviou a seguinte mensagem:

A respeito da nota sobre a “tal Agência de Fiscalização”, gostaria de ponderar  o seguinte:

- A Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná – AGEPAR foi instalada em 24 de setembro de 2012 e estamos dentro do prazo legal previsto em lei para seu pleno funcionamento. Ressaltamos que a estruturação de uma Agência Reguladora é complexa em todos os seus aspectos: normatização legal, funcional, com composição de equipe técnica especializada, estrutura física, entre outras necessidades não menos importantes. Mas já antecipamos várias atividades, estando em acelerado processo de estruturação;

- A AGEPAR não é uma instituição fiscalizadora e sim reguladora, a fiscalização cabe ao Poder Concedente, no caso ao DER-PR.

- Na questão dos “ferry-boats” de Guaratuba, a Agência solicitou em 04 de janeiro de 2013 ao DER as devidas informações sobre os problemas existentes e suas providências.

O DER, através da informação 015/2013, informou que não há possibilidade de aumento de embarcações por falta de atracadouros, tanto que em momentos de grande afluxo de veículos uma delas fica “à espera” do desembaraço de outra;

O tráfego nos feriados prolongados vem superando em muito os volumes projetados, chegando ao pico de 20 mil veículos no feriado de final de ano.

- Cabe afirmar que construção de uma ponte sobre a baía, solução que vem sendo discutida há mais de 40 anos, significaria o desvio de transporte pesado para Guaratuba, com os incovenientes inerentes a essa situação. A infraestrutura viária de Guaratuba provavelmente não suportaria esse tráfego adicional.

- A alternativa que o Governo do Estado já vem tentando viabllizar é a ligação entre a BR-376 (Curitiba-Joiville) e a BR 277, seguindo até Antonina , num trecho da BR-101, inexistente em território paranaense. Essa, sem dúvida, será a solução definitiva.

5 ideias sobre “A explicação da AGEPAR

  1. indignado

    Em vez de ficarmos sonhando e batendo boca discutindo a ponte ligando nada com coisa nenhuma, vamos partir para a ignorância, ligar as BRs 277 à 376 pelo fundo da baía de Guaratuba. Mas como fazer isto se se trata de uma APA? Quem é que vai ter a coragem de aceitar isto? Então deixemos de demagogia. Como fazer os caminhões passarem pelo centro de Guaratuba para chegar na tal ponte? A cidade já é ruim, agora querem acabar com ela de vez. E nem vou perder tempo falando de Matinhos. ACarlos

  2. Basicão

    ZB, é muita sacanagem desses caras se apoderarem da nossa sigla AGEPAR pra um serviço deletério como agência reguladora.
    Quero deixar registrado aqui meu protesto, pois AGEPAR é, desde início da década de 70, a Associação Profissional dos Geólogos do Paraná, Instituição representativa, recreativa e propositiva com larga tradição na defesa não só dos geólogos mas também da sociedade quando assolada por questões atribuídas às ciências da terra. Tenho dito.

  3. Zangado

    EngºCorrea Ribas – quando a explicação vem de quem tem qualidade técnica e experiência é – como se diz – outro departamento.

    No geral, a sociedade não tem tido esse privilégio nos últimos tempos e governos.

  4. jose maria correia

    Participei hoje de uma longa e representantiva reunião na assembleia legislativa organizada pelo Dep. Ney Leprevost, o renomado arquiteto Lolo Cornelsen nos deu uma aula sobre ferry boats contando que as barcas que hoje operam foram adquiridas por ele quando gestro estadual , isto em 1948, HÁ EXATOS 64 ANOS AS MESMAS BARCAS OPERAM, estão evidentemente sucateadas , o promotor de Gauratuba informou no evento que existem várias ações civeis , fiscais e criminais contra e empresa que opera o serviço por descumprimento de clausulas do contrato com o estado. Informou que segundo a Marinha há risco para os passageiros atualmente . O caso é muito mais grave do que diz a nota acima , muito mesmo, dito por várias autoridades. quanto a inexistencia de atracadouros há sobra de espaço do lado de Matinhos e possibilidade de ampliação ao lado de Guaratuba , tudo é questão de gestão , vontade política e fiscalização rigorosa , mas com a empresa atual não se pode esperar avanços , ainda operam com os barcos de 1948 do Dr. Lolo, da época de Moysés Lupion, eu pensava que os barcos eram da época de Ney Braga como dizem as placas nos mesmos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>