15:23Galvão não apareceu, mas o locutor…

Do facebook do professor Helio Puglielli:

Esta manhã fui à outorga da Ordem do Pinheiro, em frente do Palácio Iguaçu, para aplaudir Chloris, Aroldo, Fernando Velloso, Emílio Pita e outros amigos, incluindo o colega de turma Luiz Alberto Machado (levado em cadeira de rodas). Estranhei o tonitroante locutor adotar o estilo “programa de auditório” na chamada dos homenageados. Culminou por se referir ao irmão representante de Atilano de Oms Sobrinho, como “o popular Peeeteeeecooooo”. E mais não deve ter feito porque Galvão Bueno, também premiado com o “Pinheiro”, não compareceu e nem mandou representante. O governador, por sua vez, discursou em estilo “antecipação da mensagem anual de prestação de contas à Assembléia” e, dois aninhos depois de ter assumido o cargo, ainda se queixou da “herança maldita” deixada pelo antecessor. Se vocês conhecerem um jeito de “desligar” o espírito crítico me avisem.

3 ideias sobre “Galvão não apareceu, mas o locutor…

  1. Elton

    E vai reclamar da herança maldita quando estiver se despedindo da política em 01 de janeiro de 2015. Não vai deixar saudades.

  2. F.s

    O que ele faz com o orçamento que tem nas mãos todo ano? Não tem o poder da caneta para consertar as mazelas anteriores?

  3. F.s

    Professor, não desligue o espírito crítico. Ele é a esperança de que um dia poderemos caminhar em direção a uma democracia plena, e não de fachada, com igualdade de oportunidades para todos, sem a ditadura econômica e da informação – que sustenta a ignorância e mantém o priviláegio de poucos.
    Tomara, todos os brasileiros com o espírito crítico bem aguçado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>